quinta-feira, 25 de junho de 2009

Um punhado de morangos "norsk jordbær" e uma falsa panna cotta de chocolate



A Noruega é um país altamente industrializado que hoje importa a maior parte dos alimentos que consome. Claro que há indústrias alimentícias, muitas, mas a matéria prima é largamente importada, exceto os produtos animais (carnes e derivados) e grande parte dos laticínios. Além da produção de carnes e laticínios a Noruega mantém uma tradicional e poderosa indústria de pesca. Mas a agricultura norueguesa hoje vai pouco além dos cereais aveia, centeio, cevada e uma grande produção de canola, o principal óleo usado pelo povo aqui (mas não aqui em casa). Por essas característica a maior parte dos pães que se come aqui são de centeio. Batatas e repolhos de vários tipos são outros vegetais importantes na mesa norueguesa, mas a produção local não dá conta de jeito nenhum. A maior parte das batatas e dos repolhos também é importada.



Num país que importa alimentos numa proporção altíssima, como poucos outros, é uma grande emoção o momento da chegada dos morangos noruegueses ao mercado. Para os noruegueses é um momento importante tanto pelo lado simbólico, já que o morango é um dos poucos produtos (juntamente com as maças, mirtilos e framboesas) que ainda se produz em larga escala aqui, pelo menos durante dois ou tres meses ao ano, mas também pelo fato de serem morangos muito melhores do que todos os outros morangos importados já que são bem mais doces.

Mas os morangos que chegaram esta semana ainda não são daqui "da área", eles vieram do sul, da região onde vive a Luciana outra blogueira brasileira expatriada. Os morangos daqui de Trondelag (região onde fica Trondheim) só chegam ao mercado em julho mesmo, a coisa aqui em cima demora. No próximo mês não serão apenas os morangos de Trondelag que inundarão os mercados, mas as batatas também. Por algumas semanas os noruegueses poderão saborear suas próprias batatas.



Acho importante frisar que a Noruega aboliu os subsídios agrícolas ao redor dos quais países desenvolvidos e países em desenvolvimento brigam arduamente na Organização Mundial do Comércio (OMC = WTO) e que eu também combato ferrenhamente. A Noruega hoje mantém uma política ambiental e agrícola muito avançada e independente já que não faz parte da União Européia. Muito comum achar produtos do mundo inteiro nos mercados noruegueses não havendo muita concessão para a União Européia, o que eu também aprecio. Encontra-se muito mais produtos asiáticos, africanos e americanos nos mercados do que da Europa em si e eu acho que é assim que tem que ser. Mas é claro que o governo socialista protege muito sua indústria de carnes, laticínios e peixes taxando os produtos importados dessas naturezas, o que eu acho muito natural dado o grau de abertura desse país.



Fiz um pudim de chocolate para acompanhar que além de fácil é bem rápido que eu adorei. Influenciada pelas receitas simples de panna cotta e em busca de replicar o sabor do flan de chocolate que eu gosto tanto (mas sem tempo de forno) resolvi dar uma experimentada. Ao invés de adicionar ovos como os flans, ou creme de leite como nas panna cottas, fiz uma coisa mais simples. Levei ao fogo leite desnatado com cacau em pó, açúcar e umas sementes de amburana e adicionei gelatina. Fiz uma calda de caramelo e forrei os potinhos com a calda. Coloquei o leite e levei para gelar ainda morno. Algumas horas depois o pudim estava pronto e solto na forma pois a calda ajuda a desenformar. Mais fácil não há. Ficou uma espécie de leite achocolatado gelatinado, uma panna cotta falsa. Eu gostei pois ficou bem leve. O perfume das amburanas enobrece o sabor suave do cacau em pó. Eu ainda acho que pudins e flans têm consistência bem mais interessante do que este pudinzinho, por causa dos ovos e do longo banho maria no forno. Mas este aqui é bem leve e fresquinho, ótimo para um dia quase quente de verão nórdico.




Falsa panna cotta de chocolate


600 ml de leite desnatado + 5 colheres de sopa para dissolver a gelatina
2 colheres de sopa de cacau em pó sem açúcar
1 dl de açúcar
3 colheres de chá de gelatina em pó sem sabor
10 sementes de amburana

Calda:

1/2 copo de açúcar
1/4 copo de água


Como:

Numa panelinha derreta o açúcar com 1/8 de copo de água. Sem mexer deixe a mistura ferver em fogo médio até que o açúcar comece a ganhar cor de caramelo. Cuidado para não esquentar demais a panela e queimar o caramelo. Quando atingir uma cor amarelo escuro retire do fogo e, com muito cuidado pois pode espirrar, adicione 1/8 de copo de água restante. Com a panela fora do fogo sacuda a panela para ajudar a incorporar a água fria ao caramelo. Uma vez incorporado o caramelo adquire uma consistência mais líquida pronto para ser usado. Se estiver grosso adicione um pouco mais de água, uma colher de cada vez. Se endurecer volte a panela ao fogo que vai derreter. Resista a tentação de mexer com uma colher de pau. Caramelo é o tipo da coisa que eu faço sem mexer em nenhum momento da operação. Divida o caramelo em 4 potinhos ou ramequins.


Para fazer o pudim ferva o leite com o cacau, as amburanas (use baunilha se preferir) e o açúcar. Num pires coloque as colheres de leite frio e salpique a gelatina em pó. Deixe a gelatina descansar por alguns minutos até que ela amoleça e se incorpore ao leite. Quando o leite ferver coe para remover as sementes de amburana ou a fava de baunilha e adicione a gelatina dissolvida. Mexa bem para dissolver a gelatina e leve a mistura de volta ao fogo até ferver. Quando ferver distribua nos potinhos, sobre a calda de caramelo. Deixe esfriar um pouco antes de levar a geladeira. Deixe gelar por umas tres horas antes de desenformar para servir.

Sirva com frutas ou iogurte temperado com extrato natural de baunilha.
Rende 4 a 6 potinhos individuais.

11 comentários:

Magia na Cozinha disse...

O meu marido adora sobremesas lácteas. Sempre quer comer um creminho.
Os morangos sempre dão um toque especial, eu não resisto.
Nunca me ocorreria encorpar o flan com gelatina. Provavelmente eu pensaria em amido de milho.
Eu tb não toco na calda de caramelo com colher. Deixo ela quieta se fazendo. Mas a minha só faço com açúcar mesmo, nunca coloquei água.
Bjs :)

Claudia disse...

Clauzinha,

Eu gosto de caramelinhos finos, mais aguadinhos. Aprendi com a minha mãe que sempre adicionou água aos caramelos todos...

E sabe que a gelatina endurece mas dá uma leveza. Já a maizena e os ovos dão uma maior densidade, o que eu também gosto, mas demora mais para fazer e gelar... Bj,

C.

Verena disse...

Claudia,
eu não sou muito fã de flans (sorry pelo trocadilho) ou pudins...mas esses morangos são uma coisa!!!
Huuuuuuum!
Beijos!

Heloísa disse...

Claudia,
Simples mas gostoso. Pena que nossos morangos não sejam assim tão saborosos.
Faço um pudim de chocolate parecido com esse, e na calda também coloco canela em pó. Fica bem gostosinho.
Beijos

Mamão com açucar disse...

Noooooooossa, salivei com este pudim! Di-vi-no.
Bjks,
Fernanda
http://mamaocomacucar.sampasite.com

Luciana Håland disse...

Claudia, que sobremesa bela foi essa que você fez, hein?!!!
Menina, babei. Hoje vou ao supermercado ver os morangos, porque já não aguento mais de tanto comer melancia.
E apaixonei de vez pelas peonias, ontem enchia a cabeca do meu marido com essa história, quero peonias.
Beijo

Mari disse...

Claudia querida, se tem coisa q eu adoro, são sobremesas como esta. Pudim de leite, flans, panacotta, pudim de chocolate, de côco... são minhas perdições!
Esse teu está um absurdo de lindo! Os morangos estão uma perdição.
Super beijo

Mari

Canela disse...

Claudia
Esse pudim é uma tentação!Dá vontade até de trincar o monitor.
Achei muito interessante o teu texto,nao sabia quase nada sobre a comida e a produção da Noruega.Curiosamente esta semana estive com uma amiga que vive aí,perto de Trondheim
e falamos desse assunto.
Bj

Dani disse...

Ola Claudia,

Sempre passo por aqui mas só hoje resolvi comentar.
Adaptei a tua receita da panna cotta anteontem - tinha sobras de leite de côco e créme frâiche, que foram a substituição do creme de leite, 150ml de cada - e fiquei pensando se não havia jeito de fazer um flan light de chocolate com a gelatina!
E hoje abro o seu blog, e voilà!
Vou experimentar!

Um beijo!

Alcina disse...

Olá Claudia
Este é o tipo de pudim que eu gosto, bem ligeiro, sem natas e outras coisas muito calóricas, não que não goste dos outros, mas por questões de saude acho melhor evitar :-)

Fabiano Mayrink disse...

Humm que delicia, ainda mais com esses morangos noroegueses que pela sua descriçao devem ser maravilhosos!

eu gosto muitos desses lados dai, um de meus sonhos é um dia poder conhecer algum pais nordico, a Noruega me parece linda ^^ me encantei por tudo! quem sabe um dia conheço...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...