Informações diversas



Contato

O blog Sabor Saudade é feito por Cláudia e você pode entrar em contato comigo pelo email claudia.bjorgum@gmail.com.

Reprodução

O conteúdo deste blog está livre para reprodução, podendo ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor .


Sobre o nome do blog:

O nome Sabor Saudade é uma brincadeira minha que faz referência ao código de classificação de paladar baseado na capacidade da língua humana de identificar os paladares doce, amargo, salgado, ácido e o ainda polêmico umami. Eu acredito que um tal sabor saudade também vive ali, sendo ele o sabor que nossa história pessoal imprime na nossa língua e que, depois, é lido e registrado pelo cérebro. Exatamente como o amargo, o salgado, o doce, o ácido e o umami, o saudade também disputa espaço na nossa língua ficando devidamente guardado na memória gustativa do nosso cérebro. O sabor saudade é único, pessoal e intransferível e pode ser experimentado todas as vezes que um prato aciona essa nossa memória gustativa. Delírio pouco é bobagem!

Alertas:

Este blog não se interessa em participar de divulgações nem promoções de produtos comerciais da grande indústria em geral. Eu não acredito nos benefícios da comida processada e industrial e não apoio o consumo de produtos industriais. Mesmo que eu possa eventualmente falar e usar algum deles eu não recomendo que você o faça.

Na verdade eu não recomendo que você compre ou faça nada do que eu faço. Tudo o que eu desejo é inspirar em você alguma vontade de fazer a sua própria comida, usando sempre que for possível alimentos naturais e orgânicos. Acredito que a refeições caseiras feitas com amor e cuidado podem ajudar você e tua família a viverem melhor.

Campanhas

Este blog pretende ser um agente de campanhas de conscientização de política alimentar que tenham como objetivo promover a mudança de hábitos alimentares, contribuir para a implantação e expansão de políticas agrícolas que visem o desenvolvimento sustentável dos ambientes naturais do Brasil e que contribuam para o desenvolvimento pleno das comunidades rurais do país e dos sistemas agroecológicos de produção de alimentos. Um blog pode ser um agente intermediário importante, ajudando a promover e divulgar campanhas de informação sobre a importância da consciência alimentar para a saúde da família brasileira.


(Ilustração: Fernando Carvall)

Fotografia


Todas as fotos publicadas aqui são de minha autoria, exceto quando mencionado.

Uso diversas câmeras, inclusive compactas e não dou importância para o tipo de equipamento na hora de fazer as fotos para este blog, o equipamento precisa apenas estar com bateria carregada. Depois de mais de uma década de trabalho ao lado de alguns dos melhores fotógrafos do Brasil a única certeza que eu tenho é que não importa a câmera que você use, mas o olhar por trás da lente.

Você pode usar até uma caixa de sapatos furada revestida com filme como câmera e obter uma foto deslumbrante, esteticamente perfeita. Na hora de registrar o jantar que você preparou, ou exibir a tua alegria diante de uma árvore de frutas carregada, por exemplo, o que conta são tuas referências, tua cultura visual, a tua inspiração para ler e mostrar o objeto que está ali e que te provoca. O mais importante na minha opinião é a capacidade pessoal de perceber o momento da foto, que é único, o teu tempo, o teu olhae e aquele objeto/lugar/espaço. A tua "posição" em relação ao objeto da foto faz uma diferença muito maior no resultado final da imagem do que o equipamento que você usou. Mas essa é a minha tese e a minha experiência.


Dicas:

Assim como não acredito que a câmera faz a foto, não acredito que os equipamentos eletrônicos fazem uma cozinha. Eu acho que equipamentos de cozinha tumultuam o espaço, confundem a cabeça e exaurem a energia de uma mulher. Sofisticados, ou não, simples, ou não, o que importa é a mente e os braços de quem trabalha a comida. Por isso, eu acredito piamente que equipamentos não fazem a menor diferença no resultado de um prato. A marca da faca ou do liquificador, o tamanho da batedeira, a origem da louça, o silicone disso ou daquilo, não tem nenhuma importância.

A tecnologia pode contribuir para ajudar sim, mas pode deixar tudo mais difícil se você achar que precisa de um arsenal na hora de criar ou de preparar uma refeição em casa para a tua família. Esqueça tudo o que eu disse se teu plano é fornecer 300 bolinhos por dia para festas ou trabalhar em restaurantes. Na vida profissional os equipamentos tem uma outra função que é, basicamente, padronizar os resultados.

Mas na minha cozinha um garfo e uma boa colher de pau servem para quase tudo e as máquinas não fazem a menor diferença. Eu amasso todas as minhas massas com as mãos pois eu amo fazer massa com as mãos e inclusive a massa de macarrão eu amasso e abro com as mãos. Eu gosto de bater bolos usando apenas uma colher de pau e claras em neve com um garfo, como minha mãe e avó.

Eu quebro minhas próprias regras quando preciso fazer um suspiro e então uso a batedeira, ou quando eu vou fazer farinha de castanhas e amêndoas, aí eu uso o liquidificador ou o processador. O liquidificador ainda é o produto mais útil na minha opinião pois ele pode substituir tanto o processador como a batedeira e ainda é único para bater vitaminas e sopas.



Você pode entrar em contato comigo pelo email claudia.bjorgum@gmail.com.

Um comentário:

Anônimo disse...

Oi Claudia
tudo bem?

Descobrir o seu blog por acaso, ms como diz por ai, casualidade nao existe, espero que seja por uma boa razao.

Adorei seu blog porque voce ama o que eu estou sempre a dizer tem que incentivar o pequeno agricultures, , privilegiar os produtos locais, so assim um pais cresce com dignidade. Eu nao tenho nehuma formacao academica para dar opiniao formal sobre o assunto, mas a vida me ensinou aprenciar e ver assim. Sou cearence entao so suspeita de dizer que concordo em muita coisa que voce diz :)