quarta-feira, 17 de junho de 2009

Queijadinha de coco



Com uma sobra do coco(*) comprado para fazer cuscuz eu fiz uma fornada de queijadinha de coco que também é um doce junino. A queijadinha é um docinho muito simples e que pode ser feito em diversas ocasiões, inclusive para aniversários. Uma receita com apenas tres ingredientes: leite condensado, gemas e coco ralado (fresco ou seco) que vai ao forno em forminhas de papel o que simplifica na hora de servir e a hora de lavar a louça.

A receita dessa queijadinha eu aprendi no colégio onde eu estudei quando adolescente. Quando eu cursei sétima e oitava séries na escola tinhamos uma matéria chamada "educação para o lar" que consistia basicamente de aprender a cozinhar. A gente se divertia muito e comia mais ainda. A professora era uma freirinha muito boazinha que praticamente deixava que nós mesmas escolhessemos o que queríamos aprender. Olha, eu sei que as escolas mudaram muito, mas no anos oitenta muitas escolas tinham aulas de educação para o lar. Tinham também uma outra bem ultrapassada: datilografia. Mas sabe que se eu não escrevo mais com máquinas de escrever, pelo menos a datilografia hoje me ajuda a usar o computador com as duas mãos.



Queijadinha de coco

1 lata de leite condensado
1 copo de 250ml de coco ralado fresco (se for usar o seco use apenas 2/3 do copo)
2 gemas grandes



Pré-aqueça os forno a 180C. Misture os ingredientes com uma colher de pau até incorporar totalmente as gemas ao leite e coco. Divida a massa em 12 formas de empada, ou muffin, forradas com forminhas de papel. Leve ao forno por 20 minutos ou até que um palito saia limpo e fique levemente dourado na parte de cima. Retire do forno e deixe esfriar antes de servir. Este é o tipo de doce que fica melhor no dia seguinte, depois de longas horas de repouso em temperatura ambiente. O resultado é uma espécie de cocada cremosa já que não leva farinha alguma. Um arraso de bom, na minha opinião.



Não encha demais das forminhas para evitar que transborde. Não vai crescer mas pode dar uma infladinha na hora de assar.


Retire do forno quando estiver levemente dourada e um palito sair seco.


Espere para comer no dia seguinte, fica bem melhor. Mas eu não consegui, ataquei quase quente. Essas queijadinhas foram servidas num picnic da escola do Tormod e fez o maior sucesso.

(*)Decidi adotar de vez as regras do acordo da língua portuguesa.

10 comentários:

Moira disse...

Cláudia,
Queijadinhas é dos melhores doces que eu conheço, as minhas preferidas são as de requeijão, mas acho que gosto de todas mesmo.
Ficaram uma delícia, agora fiquei daqui a babar hehehe
Bjs
Moira

maria fernanda disse...

Clau querida desse jeito vou engordar rsrsrs... q coisa gostosa!Estou c uma amiga carioca a Rita q adorou seu blog e vai te mandar msg...Ela éuma boleira de mãocheia Hj vou fazer opudim de iogurte aliasja havia feito de outra forma mas gostei da sua maneira. Bjs Fer

Gina disse...

Cláudia,ultimamente seus posts têm feito jus ao nome... rsrs!
Queijadinha é um docinho que minha mãe fazia.
Também estudei em colégio de freiras e tínhamos várias aulas de disciplinas que não existem mais, Educação Moral e Cívica, Desenho (obrigatória, mas eu me dava bem nessa porque levava jeito pra coisa...) e artesanato era um grande prazer também, porque aprendi a trabalhar com os mais variados materiais. Infelizmente não tinha aula de culinária.
Bjs.

Magia na Cozinha disse...

Que receita simples e parecem tão deliciosas! Adorei!
Ótima para festas, pois não da trabalho. Vou anotar com certeza!
Na minha época de escola não tive esta classe de prendas do lar, não tinha.
Mas datilografia eu fiz, pois fiz Secretariado no 2º Grau. Aquilo que era ginástica para os dedos, hehe.
Embora eu tenha aprendido direitinho, acabo sempre digitando "errado". Não faço como deveria ser.
Bjs :)

Luciana Håland disse...

Esse negócio de mistura de ingredientes é uma coisa estranha, onde que eu ia imaginar que leite condensado, gemas e côco iam se juntar e dar essa consistência?
Nunquinha.
E jurava que queijadinha era feita de queijo, vivendo e aprendendo.
Na minha escola não tivemos aulas de educacão para o lar, bem que teria sido interessante, claro, se incluisse os meninos, pois lá pela minha terrinha os pobres meninos não aprendiam nada em casa nesse sentido, e depois provavelmente tiveram que se virar.
Já datilografia eu fiz, e me serve bastante hoje em dia, apesar de eu ter achado entediante demais na época.

Beijo

mesa para 4 disse...

Claudia que doçura, tanto côco maravilhoso, adorei :-)

Laély disse...

Gente, mas que "dilícia" de receitas e de imagens com passo a passo!
Gostei do detalhe de não sujar muita louça.
Também fiz umas receitinhas juninas, lá no blog.
Amo queijadinha e vou experimentar essa receita.
Vou adicionar o blog também.
Um abraço!

Mari disse...

Claudia querida, eu sou apaixonada por queijadinha... deu muita saudade, pois minha avó fazia para mim constantemente...
As suas ficaram lindissimas.
Bjo grande,

Mari

Glau disse...

Clau, com certeza eu teria lembranças mto mais doces da escola se tivesse tido aulas de educação para o lar, ao invés daquele mundaréu de aulas de laboratório de química, botânica, trigonometria.. odiava!
Os meninos tbém participavam destas aulas ou eles faziam de marcenaria? eu ia adorar tbém!

amo queijadinha!
bjão minha querida! de volta a Bsb (snif)

Alcina disse...

Que maravilha essas queijadinhas de coco, super-simples, essas vão para a minha listinha a fazer, porque cá em casa adoramos coco :-)