domingo, 15 de março de 2009

A hora do manjar de coco



Depois de uma semana escrevendo sobre mousses, pudins, panna cottas e flans chegou a hora de publicar uma receita do mais brasileirinho de todos os cremes: o manjar. Conhecido como manjar de côco, ou simplesmente manjar branco, um doce muito simples que remonta os tempos do Brasil colonial. É um doce facílimo de se fazer que tradicionalmente, diferente dos outros cremes e pudins, não leva calda de caramelo, mas de ameixas, e não demanda grandes habilidades na hora do preparo. Mas eu gosto de manjar com calda de caramelo e fiz uma calda bem fina, fácil de servir, para acompanhar.

Manjar é um doce suave, simples, doce de terreiro de umbanda e, acho eu, de candomblé também. Manjar costuma ser servido para as entidades crianças (Erês)as sextas feiras. Se me recordo bem alguns 'pretos-velhos'(depois que o acordo entrou em vigor já não sei se preto-velho tem ou não hífen!?) comem manjar nos dias de festa, tipo no dia do 'preto-velho'. Mas, para falar a verdade, eu não estou certa.



Pode ser impressão minha apenas, mas para mim manjar lembra festa de umbanda. Se não é exatamente comida de santo, nem de preto-velho , é comida de cambono e preparada por cambono. Quando eu era bem nova e acompanhava minha mãe ao centro de umbanda sempre tinha manjar e todas as amigas umbandistas da minha mãe serviam (sic), servem manjar.

Apesar de hoje eu ser uma pessoa que escolheu uma vida sem religião, eu cresci num universo composto pela tríade católica-espírita-umbandista. Quando eu era criança toda a nossa vizinhança, composta por senhoras aparentemente católicas, frequentava a umbanda, fazia despacho e servia manjar em dia de santo. Eu me lembro bem da mãe da minha melhor amiga de infância, primeira infância mesmo, que servia manjar direto, sempre com um prato para 'o santo'. A minha amiguinha era quem colocava o prato no altar. Detalhe, o prato 'do santo' não leva calda, tem que ser manjar puro.





Manjar de côco


1 litro de leite
200 ml de leite de côco
1/2 xícara, aproximadamente 100 gramas de côco ralado seco sem açúcar
6 colheres de sopa de amido de milho
6 colheres de sopa açúcar

Como

Separe uma xícara do leite e dissolva o amido de milho peneirado e reserve. Numa panela sobre fogo médio misture o restante do leite com o açúcar, o leite de coco e o coco ralado misturando o tempo todo para não grudar no fundo da panela. Quando a mistura estiver começando a querer ferver adicione a xícara de leite com amido de milho e continue mexendo até engrossar e levantar fervura. Quando ferver retire do fogo e distribua em copos ou potinhos molhados, ou em uma forma com furo no meio também molhada.





A forma molhada impede que o manjar, um doce com muito amido, grude na forma depois de duro. Deixe esfriar e leve para gelar. Desenforme depois de 2 ou 3 horas e sirva com calda de açúcar ou calda de ameixa. O doce desenforma facilmente, basta colocar a forma, ou potinho, virado sobre um prato que o manjar se solta.

Rende de 6 a 8 potinhos, dependendo do tamanho.





Calda de Ameixa

1 xícara de ameixas pretas secas picadas
1/2 xícara de água
Açúcar a gosto (eu usei 2 colheres de sopa)

Leve os ingredientes ao fogo médio numa panelinha e deixe ferver por uns 10 minutos até as ameixas se desfazerem e formarem uma calda mais homogênea.




Calda de caramelo fina

1/2 xícara de açúcar
1/2 xícara de água + para amolecer o caramelo

Leve o açúcar e 1/2 xícara de água ao fogo médio numa panela tampada e deixe ferver até formar um caramelo não muito escuro. Retire do fogo e adicione colheres de água fria e vá mexendo para o amolecer o caramelo.

Adicione a água aos poucos e com muito cuidado pois a vai espirrar. Se o caramelo com mais água não quiser amolecer e começar a empedrar leve o caramelo novamente ao fogo e deixe derreter novamente com o calor até incorporar a água acrescentada. Não deixe ferver para não endurecer novamente. Continue adicionando colheres de chá de água até atingir a consistência de calda fina. Eventualmente a calda vai endurecer novamente e precisa ter uma certa paciência para conseguir achar o ponto da calda de caramelo fininha e fácil de servir fria.

20 comentários:

Moira disse...

Olá Cláudia,
Esse é um doce que tem muitas recordações na minha família, o meu bisavô emigrou para os Estados Unidos e posteriormente para o Brasil na década de 1900, uma das suas irmãs, acabaou por ficar lá e casar, quando vinha a Portugal fazia esse doce, era a minha mãe uma criança, ela chama-lhe o doce da tia do Brasil e por muitos anos procuramos a receita, há bastante tempo atrás fiz um post sobre o assunto. Como na altura não havia net não encontramos a receita e acabamos criando uma nossa, que não é igual mas que satisfazia a nossa vontade de comer doce de coco com calda de ameixa preta.
Quando a minha mãe vier cá a casa hei-de mostar-lhe o teu doce, ela vai adorar.
Bjs
Moira

Magia na Cozinha disse...

Claudia adoro Manjar de Côco. Me lembro que a minha costumava fazer para nós, quando eu era bem pequena.
Eu nunca consigo desenformar direito. Fica sempre feio, dai faço em tacinhas.
Tenho que tentar colocando num recipiente de louça. Estes raqmequins que vc tem são lindos e práticos. Estão na minha listinha.
Vou anotar esta receita!
Bjs e bom domingo! :)

Claudia disse...

Moira,

Que legal saber que este era o doce de sua tia do Brasil. Mas é uma receita bem simplizinha, uma espécie de mingau de maizena com leite de côco. Pode ou não levar côco ralado. Mas o segredo é combinação com a calda de ameixa. Espero que sua mãe aprove. Beijos.


Clauzinha,
Manjar é muito família, né!
Este tipo de doce precisa de alguma coisa que impeça o amido da maizena de grudar na forma. A forma molhada sempre deu certo comigo, mas você pode tentar untar com um óleo bem suave.

Beijos,

C.

mesa para 4 disse...

Adoro manjar de côco e o seu ficou absolutamente lindo...

Alcina disse...

Esse docinho deve ser bem bom, eu não conhecia, mas fiquei com vontade de experimentar, porque gosto muito de coco.
Eu não sei é, como você consegue fazer tantos doces, ou tem uma casa sempre cheia de gente para comer ou estão todos gordos heheh
Gostei de saber esses pormenores da história do manjar e dos santos, só não sei é quem comia a tacinha que ia para o altar do santo hehe
Bjinhos

Claudia disse...

Mesa,

Só quem já provou sabe a delicinha que é. Bj.


Alcina,

Aqui em casa somos 4, as vezes 5, e minhas receitas são todas pequenas, nada rende mais do que 6 e comemos uma vez cada uma das sobremesas e já acabou. Eu é que sou a viciada em sobremesa, tenho que comer algo diferente todas as noites, senão não consigo nem dormir...

Sabe que quando eu era criança eu sempre quis saber se o santo comia ou não o manjar. Se comia, comia bem pouco, pois ia sempre um monte para o lixo depois de uns dias. Minha amiga me falava. Eu era pequena e nunca me esqueci destas situações até hoje. Bj.

C.

Heloísa disse...

Cláudia,
O manjar branco está entre os "doces da minha família", que veio de longe, passando de mãe para filha. Já me referi a ele num dos primeiros posts do meu blog.
Nós fazemos com calda de ameixas, ou calda de vinho. Eu costumo fazer mais com calda de vinho.
É uma sobremesa fácil e deliciosa.
Beijos

Canela disse...

Claudia
O que eu te digo é que nunca provei e tenho uma receita guardada para fazer há muito.
Ficou bem bonito esse manjar.
Boa semana!

Isabel disse...

Cláudia, apesar de não ser fã de côco, adorei saber tudo sobre esse doce típico do Brasil. Eu gosto de saber o que está por trás de uma sobremesa, a sua história e essa aí é Africa e Brasil de mãos dadas, não é?
Bjs

Princesa Urbana disse...

Cláudia, eu simplesmente adoro manjar de coco....ficaram lindos!!!
Gosto de fazê-lo com uma calda de vinho com ameixas!Fica bom demais!
Bjos, Sarinha

Leonor de Sousa Bastos disse...

Boa noite, Cláudia!


Eu não sou baptizada mas cresci num colégio de freiras e em minha casa comemoram-se todas as festas cristãs... apesar de tudo... gosto das comememorações e da comida especial de cada data.

Adoro ir conhecendo todas essas tradições e doces brasileros.
Desconhecia completamente o manjar de côco, mas acredito que seja dos deuses! :)
Com a caldinha de caramelo soa mesmo a provocação...;)

BeijO!

Gina disse...

Manjar, realmente, é um prato bem antigo, que sempre esteve presente em nossas mesas desde a infância. Mas já não faço há anos...
Beijos.

Margarida disse...

Sempre fui muito curiosa em relação ao sabor do manjar de côco. A receita parece bem fácil e a textura óptima! Vou anotar. Não há desculpa para não fazer.
**

Bergamo disse...

Cla-Cla,
Estou passando por uma fase muito complexa em minha vida, e o que mais queria nesse momento é toda a representação que esse manjar carrega. Para mim, manjar é família, é amor, carinho, compreensão. Nada sabia sobre as possíveis conexões com a umbanda, e isso, em hipótese alguma iria modificar o significado que essa sobremesa tão singela causa em mim. Ao ler sobre isso senti o cheiro dos incensos. Tenho quase certeza que não estou sozinho. E o que é bem curioso, é o fato de me sentir "impossibilitado" de preparar um manjar. Não sei exatamente o que ocorre, mas me parece um terreno proibido. Talvez eu saiba, intuitivamente, que jamais conseguirei nem aos menos alcançar um simples reflexo do que era o manjar do meu passado - para onde eu gostaria de me transportar agora. Mas dias desses farei uma tentativa, pois acredito em um mundo paralelo de sonhos e fantasias, que mesmo que saibamos que não sejam reais, podem ao menos nos confortar por alguns instantes.
Beijo,
Marcelo

Isabella disse...

Cláudia,

cheguei aqui quando fui ao "Chef" Google em busca de uma calda para um bolo de banana.

Que surpresa agradável o seu blog!

Venho sempre depois de já ter jantado senão fica difícil olhar pra essas delícias todas : )

Eu moro nos EUA há 9 anos e A-DO-RO fazer (e comer) sobremesas! Tb amo saladas e já vou tentar a de espinafre com maçã verde.

bjs,

Manuela © disse...

Não sei como só agora descobri este blog. Tanta delícia! Vou ter de experimentar esta receita :D

Glau disse...

querida.. passei pra falar um oi. Tô vivendo na bagunça, mas por aqui tudo se encaixando!
bjos

angela disse...

adorei seu blog!

Manuela © disse...

Já fiz esta receita e adorei.
Apenas adaptei alguns ingredientes para a receita ficar mais light e poder comer à vontade sem sentir remorsos hehe

Em breve coloco no meu blog :)

Anônimo disse...

Hã ???