sábado, 27 de dezembro de 2008

Uma relação complexa: vítima e vilão (tirem as crianças da sala, imagens fortes!)


(O vilão: faca de cozinha de 23cm em aço molibdênio)


Não acredito em vilões, nem em vítimas; mas que eles são criados por nós, isso são. Tudo vira uma questão complexa de perspectiva. Mas uma coisa é certa, só existe vilão porque existe uma vítima e só existe vítima pois existe um vilão. Hoje eu fiz papel de vítima e doeu. Ainda dói. Meu vilão era de aço, tinha apenas 23cm e não nasceu para vilão, mas hoje foi, deixei ele acabar comigo. A maior decepção foi ter que voltar a usar minha velha faca com quem não me sinto segura e mas por hora muito mais a vontade. Covardia? Talvez. Ou pura decepção. Eu não esperava tamanho golpe. O duro é que ela, minha velha faca, já não presta para mais nada. Aquela tatin que eu planejava vai ser adiada até a dor passar um pouco.


(A vítima, tentando conter rios de sangue....)


Per defende que um corte no polegar da mão direita é um ato cheio de significados metafísicos. Um corte como este representa, de acordo com algum livro que ele leu recentemente, uma forma inconsciente de se auto-punir. Ele diz que cortes em geral representariam o desrespeito a regras pessoais, individuais. Um corte no polegar supõe o desrespeito aos meus valores intelectuais. Ele lê estas coisas num tipo de livros que eu não leio e não me interesso. Enfim, discordo totalmente. Não acredito em auto-flagelo inconsciente. Acho que os flagelos são conscientes mesmo, daí a idéia da vítima precisar achar um carrasco, um vilão. Mas eu tô exagerando, tá. Fazendo pouco.


(E depois de muito sangue derramado... Amigos para sempre? Até quando??)


Obs. Estava precisando de facas novas. Ganhei de presente no dia do Natal duas facas (23 e 29cm) e um amolador de facas de porcelana, mas não como presente de natal, foi um presente do Per apenas. Estávamos ambos loucos por facas.

Obs 2. Me cortei com a faca menorzinha, de 23cm, um xuxuzinho, cortando mangas para fazer um tatin. Tirei uma lasca do dedo o que me faz pensar que preciso de óculos. Foi um erro de visão e não da mão, acho eu. Preciso ir ao oculista.

3 comentários:

Nana disse...

hahahaha e eu rindo das desgraças dos outros, tadinha, sei como doi.
Clau, manda afiar e arrumar o fio dela, faca cega é a que mais cortas mãozinhas, incrível, mas é verdade.
Tem as tecnicas de segurar a vilã amiga direitinho, como sempre deixar os dedinhos para dentro e calcular a distancia necessaria.
Manda os filhotes beijar que sara flor.
bjs

Magia na Cozinha disse...

Ai, doeu!
Ontem cortei um dedo do pé, quando fazia meu pedicure. Sangrou um tempão...
Eu sou mais de me queimar do que me cortar na cozinha. Uma vez queimei a barriga, fritando polenta. Vi estrelas!
Espero que melhore logo!
Bjs :)

Glau disse...

ui, e como arde! pelo menos a faca é boa! :)
este natal eu me ferrei.. fiz uns micros cortinhos na mão daqueles maledetos que ardem de montão, queimei dedo, queimei a perna na moto.. foi o uó!

um beijo minha lindona, Glau