sexta-feira, 24 de julho de 2009

Um dia blue, a torta de amêndoas e mirtilos e uma geléia...



O mundo não é nada do jeito que eu gostaria que ele fosse, queria apenas saber quando as coisas vão começar a mudar. Eu não gostaria de morrer sem ver, por exemplo, a estrutura da terra no Brasil ser alterada. Os motivos que me deixam louca são muitos, vão além da injusta distribuição de terras e eu não vou ficar aqui listando os absurdos do meu mundo. Mas quando eu descubro que a Monsanto está assediando os pequenos produtores nordestinos de algodão orgânico para usar
sementes transgênicas eu fico totalmente passada. Com as fazendas de milho não transgênico do México já largamente contaminadas pelos gens do milho transgênico você não imagina o medo que me dá. Enquanto isso o agronegócio da soja faz vergonha (mais uma) devastando a natureza e o povo do cerrado. A gripe suína já matou para mais de 30 em São Paulo e a coisa promete já que, falo por experiência própria, o frio é sempre mais intenso em São Paulo em agosto e setembro.



Eu não sei viver sem sofrer. Eu estou aqui, mas estou lá, sabe como é? E é isso que faz me faz agir, que me movimenta. E eu não consigo ficar parada vendo os pequenos produtores, da agricultura familiar, de algodão orgânico do nordeste serem ameaçados. Os produtores do algodão significam muito, tudo o que importa. Eles representam a história do Brasil, da sociedade, da cultura, da agricultura, da economia, da filantropia e do sonho de um Brasil melhor, começando pela região nordeste. A história do algodão brasileiro conta a história do capitalismo, da América, do mundo ocidental, da economia de mercado, da globalização, das regras vigentes do comércio internacional. Mais do que o café, a cana, a carne e a praga da soja, o algodão, produto nordestino por natureza, é o símbolo da luta e do poder de sobrevivência do agricultor brasileiro. Hoje o algodão é cultura que dá exemplo na agricultura familiar, orgânica. O algodão é ainda o símbolo da luta contra as injustiças do comércio internacional.




A produção do algodão orgânico no nordeste é o objeto do meu projeto de doutorado. Era para eu ter estar com eles agora mas eu ainda não obtive o financiamento que preciso para o trabalho de campo no interior dos Estados do Ceará e Pernambuco. Perdi algumas batalhas mas ainda não perdi a guerra. Eu espero que até o começo do próximo inverno sertanejo eu possa escrever direto do sertão (chuvoso). Por hora eu continuo por aqui, tomando vitamina de mirtilo, ao invés de suco de graviola. Sofrendo a dor da distância, a saudade e o desespero da não-ação. Me aguentem...



Com a casa lotada de mirtilos eu já fiz montes de vitaminas com os mirtilos que fui congelando. Para o café da manhã do time da casa eu bato os mirtilos com banana, melão (ou morango) iogurte natural e suco de maça, as vezes com mel. E fiz um refresco de mirtilo com groselha, geléia de mirtilos e, claro, esta torta que fez o maior sucesso. As crianças devoraram com iogurte de baunilha. Eu fiz a massa e reservei uma parte e fiz algumas versões em miniatura, tipo tartelettes. Ficaram todas ótimas. A massa com amendoas ficou um biscoito crocante e deliciosa. As crianças brigaram pelas "esquinas" da forma quadrada onde sempre fica mais massa. Eles ajudaram muito, trabalho infantil ainda não está totalmente proibido aqui em casa e, além de colher os mirtilos, eles ajudaram a limpar já que as frutas vem cheias de folhas e pedaços de árvore. Eles merecem as delícias feitas com as frutas...




A massa não tem mistério, uma massa podre com amendoas. Facílima de fazer.


misturar ingredientes (ver abaixo) com as pontas dos dedos...


formar uma massa e formar uma bola com ela, assim...


enrolar a massa num filme plástico e colocar na geladeira por uma hora...

O recheio é ainda mais fácil pois você pode usar a batedeira para bater gemas e claras. No final use uma colher de pau para mexer. E o recheio, que mistura de ovos e amendoas, me lembrou o sabor do biscoito champanhe com licor de amendoas que eu fiz semana passada. Eu adorei.



Massa e recheio na forma antes de ir ao forno...



A torta mal saiu do forno e já estava desfalcada...




A receita da torta é meio grande. Eu fiz uma torta retangular e além das versões torta e tortinhas ainda sobrou recheio que eu coloquei em refratários individuais untados, tipo aqueles de suflê. Ficaram ótimos também. Eu e Per comemos um quente, dividindo, mas o segundo ficou muito melhor pois comi frio, no dia seguinte. Vale a pena experimentar.



Com uma textura mais ou menos assim...



Torta de mirtilos e amendoas


Massa

200 gramas de farinha de trigo
120 gramas de manteiga gelada
100 gramas de açúcar de confeiteiro
50 gramas farinha de amendoas
2 gemas
Algumas colheradas de água fria se necessário

Como:

Num processador misture o açúcar de confeiteiro com as amendoas e processe até formar uma farinha fina. Transfira para uma superfície limpa e seca. Adicione a farinha, misture e forme um círculo. Adicione a manteiga e misture usando as pontas dos dedos. Adicione as gemas e continue misturando até formar uma massa tipo farofa grossa. Se a massa estiver seca, dependendo das condições do ambiente, da farinha e da manteiga, adicione colheradas de água gelada até dar o ponto e formar uma massa homogênea mas nada grudenta. Forme uma bola, enrole num plástico e leve a massa para gelar por uma hora. Retire da geladeira e forre uma forma de torta com a massa e leve para gelar enquanto prepara o recheio.


Recheio

500 gramas de mirtilos ou outra fruta que você preferir
3 ovos
100 gramas de açúcar
120 gramas de farinha de amendoas
Açúcar de confeiteiro para decorar

Como:

Lave levemente as frutas, deixe-as secar e reserve. Separe gemas e claras. Num pote de vidro ou metal bata as gemas com 50 gramas de açúcar até esbranquiçar. Adicione a farinha de amendoas as gemas e bata um pouco mais para incorporar. Bata as claras e quando começar a formar uma espuma adicione as 50 gramas de açúcar restantes. Misture delicadamente, usando uma colher de pau ou espátula, as claras a mistura de gemas. Adicione as frutas e misture mais um pouco. Distribua o recheio sobre a massa de torta e leve ao forno pré-aquecido a 190C. Asse por 40 minutos ou até que a massa da torta e a cobertura do recheio estejam douradas.





Eu ainda tinha prometido uns biscoitos para as crianças e fiz um rapidinho de coco com gotas de chocolate branco. Ficaram demais. Nunca uma leva de biscoitos acabou tão rápido. Vale a pena provar, use o chocolate que preferir. A receita é a
mesma que eu publiquei no ano passado com pedaços chocolate amargo.





Biscoito de coco com pedaços de chocolate branco


200 gramas de açúcar mascavo
150 gramas de farinha de trigo
150 gramas de manteiga temperatura ambiente
50 gramas de coco ralado
50 gramas de gotas de chocolate ou chocolate picado
1 colher de chá de extrato natural de baunilha
1 ovo
1/2 colher de chá de bicarbonato de sódio



Como:

Aqueça o forno a 180C. Misture a manteiga com o açucar até incorporar totalmente. Adicione o ovo e misture bem para incorporar. Passe a farinha e o bicarbonato pela peneira e adicione à mistura de manteiga. Misture bem até incorporar totalmente. Adicione o coco ralado e mexa até incorporar. Por fim adicione o chocolate picado. Coloque colheradas de massa num tabuleiro forrado com papel manteiga, bem separados um do outro pois os biscoitos vão se esparramar bastante sobre a forma. Colheradas pequenas vão se esparramar e formar biscoitos mais finos. Colheres mais cheias vão formar biscoitos mais gordinhos, por isso molde do jeito que você preferir. Asse por 10 minutos e retire do forno mesmo que o biscoito aparente estar meio mole ao toque. Deixe esfriar na forma antes de remover. O biscoito precisa ficar na forma até endurecer e poder ser tocado.

Rende 30 biscoitos




E claro, que ainda rolou uma geléia de mirtilos. Geléia não tem mistérios. Esta eu fiz com uns talos de maça que é uma fonte natural de pectina que ajuda a dar consistência a geléia de mirtilos que fica bem líquida.




Geléia de mirtilos


300 gramas de mirtilos
150 gramas de açúcar cristal
Dois ou tres talos centrais de maças com os caroços ( é o centro da maça, onde ficam os caroços)
Um pouco de água.

Corte os talos centrais das maças (aqui em casa elas abundam) em rodelas e cozinhe em algumas colheres de sopa de água. Deixe cozinhar até amolecer, cerca de 15 minutos. Passe os talos cozidos pela peneira. Numa panela de fundo grosso coloque o purê dos talos das maças, os mirtilos e o açúcar numa panela de fundo grosso. Cozinhe em fogo médio, mexendo de vez em quando, até que a geléia comece a engrossar. Cerca de 15 minutos. Deixe esfriar e transfira para um pote esterilizado.

14 comentários:

Cláudia M. disse...

Cláudia
Essa questão dos transgénicos tb sempre mexeu comigo, acho um absurdo esse tipo de interferência nas produções. Mas eu não sabia era que as produções vizinhas tb eram "contaminadas".
Mas, sabe uma coisa? Eu gostava era de ficar com essa energia toda qdo estou "déprê" :)
Eu, pelo contrário, fico sem acção. Isso é um bom escape, sem dúvida. Olha só as maravilhas que vc preparou, nem sei qual hei-se escolher...

Mantenha a esperança. Mal posso esperar para ler as suas crónicas do sertão.

bjs

Isabel disse...

Cláudia, a sua luta é tão importante e tão necessária, os "pequenos" produtores precisam mesmo de fortalecer a sua situação, não só no Brasil, como em todo o mundo. Continue a lutar, mesmo à distância, e quando der você lutará in loco.
A pequena produção é a alma de um país, é a cultura, você tem toda a razão. Sinto o mesmo aqui em Portugal, o pequeno comércio, o pequeno artesanato, os pequenos produtores agrículas, são eles que são a verdadeira alma do país, se tudo isso for substituído por estruturas despersonalizadas de grande escala, ficamos iguais a todos os outros e perde-se a riqueza da diversidade.
Bjs

Isabel disse...

Esse trabalho infantil aí de casa não deve ser abolido nunca, esse é muito saudável para as crianças!
Bjs

Heloísa disse...

Cláudia,
Da mesma forma que a Claudia M., eu fico espantada com a energia que você tira da fase em que está "para baixo". É impressionante. Mil quitutes caprichados, e com certeza gostosos.
Beijo.

Luciana Håland disse...

Ai Cláudia, espero que você ganhe essa guerra, que bom que você mesmo estando aqui ainda está lá, outro dia comentei sobre algo do gênero com uma amiga do Brasil e ouvi dela uma coisa que considero terrível, disse para eu viver minha vida e não ligar pra os fodidos(desculpe a palavra), mas sinceramente, assim como você, não consigo não deixar de me preocupar com o nosso povo.
A torta ficou linda, sabia que ontem sonhei com seus mirtilos, os que vocês colheram, e sonhei com o que você tinha feito de receita com eles, coisa de doido sonhar com isso.
Beijo

Camila Castro disse...

Porque o mundo ainda tem gente como você, as coisas não estão totalmente perdidas. Enquanto houver preocupação, solidariedade e ESTUDOS como o seu, há esperanças. O meu coração fica corroído com a devastação do cerrado, as queimadas no inverno, o tráfico de animais e a troca da pecuária por soja em vários lugares, a morte da riquíssima cultura local pela qual até Lars se apaixonou. Morei no Pantanal e meu mundo virou 180 graus depois daquilo.

Não se deixe abater. Financiamentos são difíceis mesmo - seja lá ou cá. Mas acredito na insistência, e logo vc nos presenteará com relatos diretamente do Nordeste. Ficarei na torcida.

E obrigadíssima pelas receitas todas que colcaste aqui... Deixa a minha temporada de mirtilo chegar, aiaiai!

Ah, e refiz a geléia de banana, dessa vez cozinhei outra quase hora. Ficou fabuloooooooooosa. Não quero dar esta leva de presente mais! Mas a sogra viu e já levou... sniffff!

beijos pra você

Carol disse...

Esse tipo de trabalho e preocupação devia ser assunto mundial. Hoje mesmo fui ao mercado central e sabe quanto uma caixinha com 100g de mirtillo? 15,00. Talves se as coisas fossem diferente conseguiriamos conseguir consumir mais essas maravilhas. Bela torta. Grande beijo

Magia na Cozinha disse...

Claudia hoje vc estava realmente inspirada. Uma coisa mais deliciosa que a outra!
Achei ótima a dica sobre as maçãs na preparação da geléia. Eu nunca fiz geléia, talvez um dia.
Ontem comprei uma caixinha de blueberries e me lembrei direto de vc. Como vem pouquinho, vou fazer uma cuca desta vez.
Eu espero que vc consiga o seu financiamento o mais rapidamente possível. Estes empecilhos são sempre uma desilusão, mas dias melhores virão!
Bjs :)

Alcina disse...

Com tanta coisa boa no fim quase me esquecia do inicio do seu pensamento!!eu penso que o planeta não tem salvação, essas coisas transgénicas, os aditivos alimentares, a poluição e sei lá mais o quê, que provocam tantas doenças ruins e outras coisa piores, que o homem não sei porquê não consegue vêr nem tentar remediar, por isso eu sou muito pessimista...
Mas voltando aos docinhos cada um melhor que o outro :-) afinal também temos coisas boas :-)

Gina disse...

Cláudia, o blog lhe dá a possibilidade de desabafar.
Desejo que consiga o financiamento para o trabalho de campo. Tenho certeza que será uma grande realização.
Endosso as palavras de quem se admirou com a sua disposição. Sabe que minha mão trabalhava muito mais quando se aborrecia?... rsrs!
Entendo sua indignação, já que está a par do que está acontecendo.
Boa sorte!
Bjs.

Mari disse...

Claudinha, é de pessoas como você que nosso mundo precisa: solidárias, conscientes e dispostas a lutar por um mundo melhor, para que o egoísmo e o desrespeito (em todos os sentidos) sejam definitivamente erradicados da face da Terra... porque a existência de alimentos trangênicos, em minha (humilde) opinião, nada mais é do que um imenso egoísmo e soberba dos grandes produtores que pensam pura e tão somente em seus lucros, deixando de lado a qualidade de vida, a saúde, e tantas outras coisas tão importantes!
E menina, quantas delícias você preparou!! Tudo tão lindo.. a torta, os ramekins, os biscoitos... se eu pudesse, me teletransportava para aí so para comer um bocadinho contigo!!
Bjo grande,

Mari

Claudia disse...

Cláudia, Isabel, Heloísa, Luciana, Camila, Carol, Clauzinha, Alcina, Gina e Mari,

Obrigada pelo apoio. Eu fico muito feliz por receber a atenção de vocês, vocês são umas maravilhosas.

Eu as vezes fico cansada, e olha que eu me acho uma pessoa cheia de disposição. Mas sou cheia de disposição apenas para o que acredito. Eu sou muito crítica ao que rola ao meu redor e é difícil aceitar certas coisas.

E quando me sinto contrariada parece mesmo que minha energia dobra, coisa meio louca.

Ficar parada, passiva, vendo o mundo passar na minha frente não é para mim. O problema é quando aquilo que a gente precisa ( o tal financiamento) depende do interesse de outras pessoas (instituições). Mas estou na batalha.

A minha família me anima muito...


Beijos,

Claudia

Canela disse...

Claudia
Tanta coisa boa e bonita,feita com esses frutos que adoro!
E noticias tristes tambem, que desconhecia.Acho bem que divulgue,temos que ter consciencia e agir perante estas atrocidades.
Beijo

Dani disse...

Claudia,

Espero que o teu ânimo tenha melhorado - não dá para ignorar os ataques da tristeza gerada pela impotência, mas também é preciso continuar a fazer a sua parte.
Que o financiamento saia logo, para você arregaçar as mangas e continuar com o teu importantíssimo trabalho.

Um beijo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...