domingo, 6 de fevereiro de 2011

Eu, eu mesma, minhas opiniões e minha gordura de porco



O último texto que publiquei foi bem chatongo. Eu meio que posando de policial de posturas, Mas saí para lá, eu tô fora. Por favor, não pensem que eu estou aqui para isso! Eu sei que posso ter magoado algumas pessoas. Me desculpem, não era o meu desejo. Espero sinceramente que entendam que é apenas uma opinião.

Eu sou mesmo uma pessoa excessivamente crítica, fico ruminando sobre coisas por longo tempo e, eventualmente, solto minha opinião de uma hora para outra, o que pode eventualmente causar susto. Lá pelas tantas apareço eu, sempre do outro lado de alguma coisa, exercitando a minha opinião isolada.




Eu amo a blogosfera de língua portuguesa porque acho que somos muito originais, criativos e românticos. Acho também que a nossa blogosfera é ainda mais crítica do que as demais, em outras línguas. Olha, eu não leio chinês, nem russo, para poder comparar com tudo o que se escreve pela aí. Mas, considerando o tamanho da nossa rede, em relação ao tamanho das demais redes, eu acho que estamos bem pacas a nível de estilo e personalidade. Somos feitos de muitas verdades (não há um modelo que sirva para todo mundo). Mas temos mais curiosidade pelo mundo e mais respeito pelo que é diferente. Temos uma boa dose de humor, usamos menos chavão e muito menos cinismo.


Eu amo a blogosfera em português porque vejo nela não apenas mais originalidade, mas mais generosidade com o universo globalizado do qual fazemos parte. Mas o que eu mais gosto é quando percebo que estamos tratando das nossas verdades, da nossa realidade. Mas nem tudo são flores e originalidade. Há quem se paute pelas prioridades alheias, pelo universo do outro e por realidades estrangeiras, aqueles que reproduzem sem senso crítico algum o que os blogs estrangeiros publicam e inclusive "mimicam" as atitudes desses. E quando viramos uma repetição, ou um apêndice dos outros, que nos reduzimos e desaparecemos, que perdemos o valor e é isso me deixa muito chateada.

Mas quem sou eu para falar? A polícia? Não, claro que não. Sou apenas alguém que acompanha com admiração o imenso esforço diário que está por trás de um blog criativo e bem atualizado. Uma coisa eu tenho certeza: blog não é só belezura, é acima de tudo conteúdo, personalidade e originalidade, e isso a gente tem de montão e eu quero é levantar a bola para essas pessoas e não ficar apenas dando opinião. Será que me fiz entender?





Gostaria de ver mais, e mais, personalidades fortes nos blogs em português, mais autoridades se formando e se exibindo na nossa rede, gente vigorosa, gerando opinião, contestando e produzindo conteúdo exclusivo e sensacional. É em português o melhor blog de comida do mundo, o come-se da Neide Rigo. Na minha opinião o come-se é o mais sensacional blog pois é ultra pessoal, cheio de conteúdo, personalidade e apaixonado pelas comidas no mundo. Já escrevi isto para a Neide diversas vezes.

E por que ela faz o melhor blog de comida do mundo? Porque nenhum outro sabidão gringo, ou metido a sabido, conhece tanto de comida como a Neide. E se conhece tanto quanto ela, jamais será tão generoso, tão curioso ou capaz de demonstrar respeito e reverenciar outros "comeres", culturas e histórias com amor, como a Neide faz todos os dias. Ela é mais do que uma especialista, é uma apaixonada, formou-se comendo, na cozinha do afeto, na cozinha da história, na cozinha da Brasilândia. Ela não esconde interesses por trás dos textos, ela que não quer te vender nada, nem te empurrrar uma agenda pessoal. Neide está ali para dividir o prazer e não te doutrinar.




Pensei em selecionar as minhas postagens favoritas, mas são todas tão sensacionais que é difícil. Resolvi então deixar o link a Série sobre Paraibuna. E para as demais partes: parte 2,parte 3,parte 4, parte 5, parte 6 e parte 7. Talvez por eu ser apaixonada por rios e, pelo rio Paraíba do Sul em especial, as postagens sobre o Paraibuna são especiais para mim.

Eu acho que todos nós, brasileiros e portugueses e angolanos e moçambicanos e caboverdianos e timorenses, temos esse talento da Neide e deveríamos sair por aí apaixonando e provocando, criando e inspirando, de dentro para fora. Porque somos todos deveras ricos e temos um mundo lindo para representar e exibir por aí.



(refogadinho com gordura de porco)



Gordura de porco

Ilustram esta postagem imagens da gordura de porco caseira que preparei com a leva de porcos que consumimos durante as festas de natal, ano novo e aniversários. Nós assamos muito porco, várias partes diferentes, eu aproveitei para remover com todo cuidado e dedicação a gordura que se separa do líquido durante o cozimento. Esta gordura tem sabor forte de porco e foi temperada com muitas folhas de tomilho, muito alho amassado, usados para temperar a carne em si. Não dá para usar em confeitaria, nem para fazer sabão, mas minha gordura de porco ficou aromática e de sabor fantástico. Usei para preparar farofa, caldo para sopas e até mesmo para refogar feijão. O sabor é único.

É tão fácil aproveitar a gordura quando se assa, por exemplo, costela ou carne da barriga do porco (de onde se tira o toucinho) que é desperdício remover a gordura e jogar fora. Ainda mais agora que a gordura de porco está totalmente de volta como alimento saudável que é... Assim, a gordura de porco tem menos gordura saturada do que a manteiga e muito mais sabor dependendo do que você vai usar. Além disso, em tempos de gorduras trans, a gordura de porco é mesmo uma opção muito mais saudável. Além disso não é para o todo dia, é para de vez em quando, para pratos e dias especiais...

6 comentários:

Helena disse...

Claudia
Achei o máximo produzir essa "banha" aromatizada com ervas, embora a minha origem me leve a preferir o azeite.

Claudia Lima disse...

Vc me lembrou a minha avó. Ela sempre usa gordura de porco para temperar o feijão, que tem um paladar único.
Eu faço um feijão parecido com o dela, mas nunca usei a banha daqui, pois acho que não é pura. Tem uns hidrogenados no meio.
Bjs :)

Gina disse...

Cláudia,
Não é a primeira vez que falo sobre a Neide. Alguns posts dela me tocaram profundamente, pelo sensibilidade de seu olhar para as coisas simples. Ela foi uma fonte de inspiração para o meu blog e ela sabe disso. Meu voto é também dela!
Vivemos um paradoxo com relação aos alimentos, ora julgados saudáveis, ora se tornam vilões. A manteiga, que no passado não tinha similares, foi de tal modo criticada, que passou a ter um espaço restrito nos mercados, enquanto a margarina ocupou espaço... O mesmo se deu com a banha, a gordura de coco. Até que ponto podemos confiar em pontos de vista considerados científicos, baseados em pesquisas, se os que os sucedem também o são e mudam completamente o rumo do alimento?
Interesses das indústrias, do agronegócio, dos governos...

gasparzinha disse...

Perfeito: homenagear o Come-se é sublinhar com sabor tudo o que hpode haver de melhor num blogue de comida.
Adorei! :)
Beijinhos

Moira disse...

Cláudia,
Concordo contigo sobre tudo o que dizes da Neide, a única pessoa da blogosfera brasileira que conheci pessoalmente e que adorei. Um amor de pessoa e um poço de sabedoria, sem dúvida o melhor blog escrito em português sobre tudo o que se come.
Quanto à gordura de porco, que nós por cá chamamos banha, eu por vezes ainda a uso, embora prefira o azeite na confecção da maioria dos pratos, muitos há em que mantenho a banha, inclusivé em doces. Criou-se um mito à volta da banha dizendo que ela não é uma gordura saudável, mas eu acredito que se nada for consumido em excesso será sempre saudável.
Bj
Moira

angela disse...

Claudia, eu preciso da sua loja! onde é, por favor! Não encontrei. Aí, estou te lendo, e cheguei aqui, quá! minha última postagem foi exatamente em homenagem ao Come-se! Ela é o máximo!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...