sexta-feira, 29 de maio de 2009

Pátria e pai



Uma saudade absurda me maltrada e tudo o que queria hoje era poder beijar o Brasil na face, como na poesia do Vinicius. E hoje é aniversário do meu pai, a pessoa que me ensinou a amar a vida, o Brasil e a poesia. E enquanto eu preparo um doce, para celebrar daqui o dia de hoje, eu penso num poema que eu sempre adorei e que reflete totalmente o meu atual momento. Para o meu pai, ainda se recuperando, no dia do seu aniversário uma poesia e uma foto. Na foto a minha filha com a camisa favorita do meu pai.

Pátria Minha

(Vinicius de Moraes)


A minha pátria é como se não fosse, é íntima
Doçura e vontade de chorar; uma criança dormindo
É minha pátria. Por isso, no exílio
Assistindo dormir meu filho
Choro de saudades de minha pátria.

Se me perguntarem o que é a minha pátria direi:
Não sei. De fato, não sei
Como, por que e quando a minha pátria
Mas sei que a minha pátria é a luz, o sal e a água
Que elaboram e liquefazem a minha mágoa
Em longas lágrimas amargas.

Vontade de beijar os olhos de minha pátria
De niná-la, de passar-lhe a mão pelos cabelos...
Vontade de mudar as cores do vestido (auriverde!) tão feias
De minha pátria, de minha pátria sem sapatos
E sem meias pátria minha
Tão pobrinha!

Porque te amo tanto, pátria minha, eu que não tenho
Pátria, eu semente que nasci do vento
Eu que não vou e não venho, eu que permaneço
Em contato com a dor do tempo, eu elemento
De ligação entre a ação o pensamento
Eu fio invisível no espaço de todo adeus
Eu, o sem Deus!

Tenho-te no entanto em mim como um gemido
De flor; tenho-te como um amor morrido
A quem se jurou; tenho-te como uma fé
Sem dogma; tenho-te em tudo em que não me sinto a jeito
Nesta sala estrangeira com lareira
E sem pé-direito.

Ah, pátria minha, lembra-me uma noite no Maine, Nova Inglaterra
Quando tudo passou a ser infinito e nada terra
E eu vi alfa e beta de Centauro escalarem o monte até o céu
Muitos me surpreenderam parado no campo sem luz
À espera de ver surgir a Cruz do Sul
Que eu sabia, mas amanheceu...

Fonte de mel, bicho triste, pátria minha
Amada, idolatrada, salve, salve!
Que mais doce esperança acorrentada
O não poder dizer-te: aguarda...
Não tardo!

Quero rever-te, pátria minha, e para
Rever-te me esqueci de tudo
Fui cego, estropiado, surdo, mudo
Vi minha humilde morte cara a cara
Rasguei poemas, mulheres, horizontes
Fiquei simples, sem fontes.

Pátria minha... A minha pátria não é florão, nem ostenta
Lábaro não; a minha pátria é desolação
De caminhos, a minha pátria é terra sedenta
E praia branca; a minha pátria é o grande rio secular
Que bebe nuvem, come terra
E urina mar.

Mais do que a mais garrida a minha pátria tem
Uma quentura, um querer bem, um bem
Um libertas quae sera tamem
Que um dia traduzi num exame escrito:
"Liberta que serás também"
E repito!

Ponho no vento o ouvido e escuto a brisa
Que brinca em teus cabelos e te alisa
Pátria minha, e perfuma o teu chão...
Que vontade de adormecer-me
Entre teus doces montes, pátria minha
Atento à fome em tuas entranhas
E ao batuque em teu coração.

Não te direi o nome, pátria minha
Teu nome é pátria amada, é patriazinha
Não rima com mãe gentil
Vives em mim como uma filha, que és
Uma ilha de ternura: a Ilha
Brasil, talvez.

Agora chamarei a amiga cotovia
E pedirei que peça ao rouxinol do dia
Que peça ao sabiá
Para levar-te presto este avigrama:
"Pátria minha, saudades de quem te ama..."


Do livro: Poesia Completa e Prosa de Vinicius de Moraes
Ed. Nova Aguilar, Rio de Janeiro, 1998.

17 comentários:

Sutana disse...

Que lindo!!!
Feliz aniversário!!! Seja muito feliz, com saúde paz e alegria...beijos...Su

mangiachetefabene disse...

Claudia,
nunca tinha lido a poesia toda, conhecia alguns pedaços e como tudo que o Vinícius fez é lindeza pura!
Que seu pai tenha um aniversário feliz e tranquilo e que a foto da neta com a camisa preferida lhe traga um sorriso amplo no rosto!
Um beijo e ótimo final de semana!

Mari disse...

Claudia, fiquei emocionadíssima com teu post, querida! Minha mãe mora em Porto Alegre, muito mais perto de mim, do que o teu paizinho, de você... e mesmo assim, quando a saudade aperta, é basatante complicado! Imagino a falta que você sente dele, e a vontade que tem de poder estar por perto, especialmente nesse momento, em que ele está se recuperando (e há de se recuperar 100%, se Deus quiser)!!
Sua homenagem não poderia ter sido mais linda. A poesia (como tudo o que Vinícius escreveu) é maravilhosa, tua filhota é lindíssima, e a camisa predileta dele, fechou com chave de ouro... tenho certeza de que ele vai amar!
Parabéns a ele, e que Deus o abençôe sempre... pois ele já é muito abençoado, por ter uma filha tão querida como vc!
Beijo grande,

Mari

Cláudia M. disse...

Cláudia,

essa sua saudade é tão forte que chega a doer tb em quem a lê.

Lindo, o poema, não conhecia.
Linda, também, a sua filha (impressão minha ou ela é igualzinha à mamãe?) :)

Tb gostei de ver a nova foto, está com carinha de primavera.

Bjs

Moira disse...

Cláudia,
Confesso que também eu me emocionei, por todas as palavras hoje aqui escritas. Também eu adoro poesia, adoro Vinicious que é um poeta de emoções.
Muitos parabéns para o teu pai e um grande beijinho para ti.
Moira

Gina disse...

Cláudia, perfeito!!!
É inevitável sentir saudade da pátria quando se está tão longe ou por muito tempo.
A foto da filha me fez lembrar uma do meu sogro, já falecido, com a neta (minha filha) vestida com a camiseta do Vasco, time da família.
Parabéns ao pai e que ele possa se recuperar totalmente para aproveitar a vida em sua plenitude.
Beijo no seu coração.

Lúcia Soares disse...

Oi, Cláudia. Li você no blog da Luciana Holand e vim aqui. Muito lindo o post. Seu pai vai se emocionar demais! Eu adoraria uma homenagem assim!
Vou ler tudo. Abraços!

Claudia disse...

Sutana,

Muito obrigada.

Verena,

É verdade, há trechos do poema que são mais reproduzidos do que outros. Meu pai sempre amou Vinicius de Morais e o Botafogo. Espero que não se emocione muito. Bj.

Mari,

A distância é uma loucura mas não dá para ter tudo ao mesmo tempo agora. Há que saber viver cada pessoa de uma vez. Alguns anos eu tive meu o meu país e o meu pai perto, em outros eu tenho o Per e a Noruega. Acho que ele vai ler e gostar. Ainda não leu, vou ligar as 21:00. Muito obrigada pelo apoio, faz a maior diferença. Beijos.

Claudia,

A saudade dói mas a gente tem que saber viver com as escolhas que fez. Sabe que a poesia do Vinicius de Morais revolucionou a poesia e a música brasileira. Um poeta fantástico e meu pai sempre foi louco por ele, tanto que meu irmão chama se chama Vinicius. Beijos.

Moira,

Obrigada. Sabe que eu ando muito sensível esses dias, estava assistindo ao filme sobre a vida do Vinicius de Morais e fiquei muito emocionada, saudosa e triste. Ainda mais por não poder estar no Rio hoje. Mas estou otimista de que meu pai vai ficar totalmente recuperado.

Gina,

A saudade do Brasil é como uma doença que toma conta de mim, espero conseguir me recompor qualquer dia desses. O futebol é uma realidade na vida de todo vovô carioca, não? E a netinha ganhou a camisa do Botafogo do avô. Bj.

Lucia,

que bom que você gostou. Obrigada pela visita.

C.

Bia disse...

Claudia esse selinho é para você.

http://4.bp.blogspot.com/_hUTrccPBS1A/Sh2ytSr3gVI/AAAAAAAAAGI/bI2Wk3YO3qw/s320/selinho+do+blog.JPG

Magia na Cozinha disse...

Eu acho que ainda não conhecia esta poesia. O seu pai, com certeza, vai adorar a homenagem!
Faz mais de 12 anos que não vejo as pessoas da minha família e mais de 9 que não vejo a minha mãe, mas acabei me acostumando. Quando estamos sintonizados o longe acaba virando perto.
Espero que seu pai melhore o mais rapidamente possível. Nada como um dia depois do outro!
Bjs :)

PS: Vc está muito bonita na nova foto.

Glau disse...

eita saudades que aperta o peito! A filha tá linda e tenho certeza que seu pai ficou super emocionado com a homenagem! e olha que ele não pode com fortes emoções, hein? :)
Beijão querida e mta felicidade pra sua família, Glau

kesia duarte disse...

Claudia

Venho acompanhando seu blog e cada vez mais admiro o seu carinho pelas coisas mais simples que muitas vezes nao valorizamos por termos tao perto ,ficar longe do país, familia e amigos nos faz crescer e amadurecer muito e ficamos com uma outra visao e sensibilidade grande nao sei se te ajuda falar isto mas voce aí do outro do muindo está tao perto nos ensinando a ver e respeitar nosso país , nossas comidinhas e pequenas coisas , voce é uma pessoa adimiravel !! saúde e paz para seu pai ele realmente tem bom gosto Vinicius é tudo de bom rsrsrs

Isabel disse...

O poema é maravilhoso. Vinícios deu tanto ao Brasil (e ao mundo)com as sua poesias musicadas por jobim e outros compositores. Adoro. Mas não conhecia este poema, é fabuloso.
Tudo de bom para o teu pai.
Bjs

Alcina disse...

Claudia
Como eu te entendo, ainda esta semana eu me questionava o que faço aqui em coimbra longe da minha familia (160km!!)como tudo é relativo na vida!!!
A verdade é que temos que viver o melhor que podemos com as opções que fizemos.
Este poema é uma linda homenagem ao seu pai, Vinicios é uma verdadeira maravilha :-)
bjinhos

Horácio disse...

Oi Claudinha
Lembro da sorveteria em Cabo Frio que tinha o sorvete de abacate, que eu também adoro.
Aqui no Rio alguns restaurantes servem o creme de sorvete com abacate pingado com licor de cacau. Chamam de Cup Camargo. Acho que é uma sobremesa portuguesa. Vou procurar saber no Google.
Adorei as fotos da Estela e a poesia do Vinicius.
Beijão
Horácio

Horácio disse...

Sabe Cauduinha
A saudade tem mão dupla.
Ainda bem que a tecnologia ajuda um pouco.
Nosso encontro via Skype no dia do aniversário foi tudo de bom.
Lembro nos anos 70, quando a gente morava em Londres que eu ia na loja da Varig pegar jornais velhos para saber notícias do Brasil.
Gostei muito do teu Blog.
Beijo H

Blog - util.necessario - Ana disse...

Que menina linda!!!!
Bjs, Ana
http://utilnecessario.blogspot.com/

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...