domingo, 23 de janeiro de 2011

Porque brigadeiro merece o melhor leite condensado do mundo...



Vou finalmente dar minha receita para fazer o melhor leite condensado do mundo. Os ingredientes? O melhor leite orgânico e o melhor açúcar orgânico que você puder encontrar.

Aquelas que me conhecem há mais tempo sabem o quanto eu sou taxativa. Não economizo superlativos. As desavisadas podem me achar arrogante, ou até mesmo maluca. Tudo bem, faz parte. E vou mostrar com eu faço o que é para mim o melhor leite condensado do mundo. E a pergunta que não vai calar é, por que fazer leite condensado? Por que fazer se é tão fácil e barato abrir uma lata de leite já condensado? Minhas respostas, levemente ingênuas são: Porque eu amo leite, porque eu amo açúcar, porque eu amo cozinhar leite, eu amo cozinhar leite com açúcar, amo cozinhar a mistura de leite e açúcar com chocolate e manteiga até chegar ao ponto de bala e enrolar em forma de brigadeiros. E eu adoro brigadeiro como recheio e cobertura de bolo, adoro brigadeiro como recheio de biscoito, recheio de macaron, ou como pudim. Porque eu sou brasileira e acredito que nosso docinho mais famoso merece respeito.

Apesar das muitas novidades e do esforço fantástico de pessoas apaixonadas e dedicadas a elevar o brigadeiro a condição de sofisticação, o problema na minha opinião esbarra nas condições de produção do ingrediente principal do doce e que desmerece o esforço de todos: o leite condensado de lata, um leite industrializado. Brasileiros amam seus brigadeiros, eu inclusive. E não apenas brigadeiros, crescemos comendo uma variedade imensa de docinhos. Beijinho de coco, cajuzinho, olho de sogra, ouriço de castanha de cajú com doce de gemas caramelizados, caramelizados recheados de uva, ninhos de ovos, cone de doce de leite, bombocadinhos e quem lembrar de outros que me conte pois a lista de delícias é longa. Uma bela mesa de docinhos, arrumadinhos em forminhas, com ou sem rendinhas de papel ou celofane, é um dos ícones da doceria brasileira e essa mesma mesa carece e merece atenção e resgate urgente.



Agora eu vou colocar o dedo na ferida:

Eu acho que o leite condensado industrializado reduz a doceria brasileira a uma categoria inferior. O leite condensado desmerece o esforço de tanta gente boa que rala por aí criando brigadeiros e docinhos maravilhosos. Para algumas pessoas eu sei que isso pode soar como provocação já que há um exército fiel de brasileiros dispostos a amar e reverenciar a mágica do leite condensado em lata acima de todas as coisas. Mas, gente, não tem mágica alguma ali. Leite condensado é só leite e açúcar, cozido com certo cuidado e por certo tempo até que engrosse sem cristalizar o açúcar.

Dá mais trabalho fazer em casa? Sim e não. Dá algum trabalho sair para comprar leite e açúcar? E coisa mais fácil do que abrir uma lata não há (nem mesmo para uma canhota como eu) não é mesmo? Mas em nome da nossa tradição doceira, do nosso amor por docinhos, em nome da nossa herança colonial, dos doces de fazenda, dos doces de colher, dos doces de ovos, dos doces portugueses que formam a base da nossa doceria e, principalmente, em nome das milhares (descobri que passam de um milhão) de fazendas de leite e outro milhão de fazendas de cana de açúcar desse Brasil varonil eu sugiro a todos um desafio:

descubra o leite puro e apaixone-se por ele. Não aquela porcaria morta da caixa UHT. Eu falo do leite de verdade, fresco, pasteurizado mas fresco, o leite que azeda pois ainda está vivo.

E apaixone-se pelo açúcar puro, tente entender sua lógica toda própria, suas nuances de cor e sabor. O açúcar foi a primeira grande indústria do Brasil, ainda fazemos o melhor açúcar do mundo, milhões de brasileiros deram e ainda dão seu sangue por essa indústria todos os dias. Enverede pelas diferenças entre o pó refinado, os cristais vidrados, os granulados mascavos e a aparente rigidez da rapadura. Se não tem curiosidade, faça por retribuição a todo o esforço social e cultural que um pacote de açúcar representa. São centenas de anos de história, produzindo açúcar e leite, que trazem de volta a origem complexa da nossa sociedade, tudo num pacote de açúcar. Mostre que você entende porque ama o seu açúcar de verdade.


Leite de primeira linha e de boa procedência e açúcar de qualidade superior são suficientes para produzir o melhor leite condensado do mundo e por consequência o melhor brigadeiro que você pode desejar.





O leite condensado não nasceu famoso, conquistou mercados e corações em função da qualidade irregular do leite brasileiro nos diferentes estados da federação e principalmente nos centros urbanos que incharam durante a primeira metade do século 20. A qualidade duvidosa e irregular do leite facilitou a vida da indústria que ficou livre para produzir, controlar e testar a qualidade do seu próprio leite durante décadas em função da desorganização do então sistema de fiscalização e inspeção sanitária diante das muitas inovações da indústria. O fracasso das muitas cooperativas de produtores de leite de produzir e distribuir, ainda que localmente, seus laticínios é lembrança triste do processo que levou à situação atual da indústria de laticínios, controlada por gigantes internacionais que só pensam em manter seus interesses, seu poder de barganha e seus lucros e que massacram sem dó qualquer pequeno produtor que cruze seu caminho.

O sucesso do leite condensado e do leite industrial não é ruim apenas para a nossa doceria. Enquanto os interesses das indústrias multinacionais comandarem a nossa indústria de leite, a regulamentação e o sobrevivência dos nossos queijos tradicionais, requeijões, coalhadas, iogurtes e cremes de leite, produzidos com leite cru, serão ameaçados em função dos interesses da indústria. Ou você acha que o leite de caixa UHT, um leite morto, ultra fervido e que resiste a meses de prateleira é um benefício para você ou para a indústria?




Na minha opinião, e você pode discordar de mim, o leite condensado é um produto que compromete e paralisa a doceria brasileira. Ele conseguiu polarizar um setor da doceria brasileira de uma forma muito triste. E é triste perceber essa polarização e ver como aceitamos quietas as perdas, os sabores e as possibilidades que desaparecem com o aumento do uso do leite em lata. Padronizamos o nosso gosto pelo "gosto" plantado pela indústria, colocamos o nosso paladar, nossas receitas e todo o nosso conhecimento de apreciadores de leite, e de açúcar, nas mãos da indústria em troca da praticidade enlatada.




O baixo custo do leite condensado, dos leite UHT de caixa e do creme de leite em lata é símbolo da miséria que a foi condenada a indústria brasileira do leite. A Nestlé e a Parmalat são hoje as maiores compradoras de leite do Brasil e controlam o preço produto graças ao poder que o nosso consumo oferece a essas empresas. O baixo preço pago aos produtores de leite, pelas indústrias, só faz crescer o número de escândalos de leites contaminados e fraudados e cair a qualidade com um todo.


Quando escolhemos abrir uma lata, entregamos um pouco da alma da nossa cultura junto com ela. E o mais interessante é que os suíços são loucos por seus leites e suas vacas. E é sinalizador o fato do leite condensado ter sido inventado pela indústria suíça fora da Suíça, já que os suíços são apaixonados por seu leite. Ou vocês acham que os suíços bebem leite UHT em caixa ou usam leite condensado para produzir os seus chocolates? Ou seus queijos? Os suíços louvam seu leite, um dos mais valiosos trunfos daquela pequena nação. É a fama do leite deles que faz com que nós aceitemos comprar o leite da multinacional suíça que aqui nos vende leite UHT, leite em pó e leite condensado.

Amantes do leite condensado, não me odeiem. Mas para mim o leite condensado é o maior truque da indústria, daquelas mágicas simples que todo mundo acredita e ninguém entende como foi possível. Exatamente como engarrafar água. E o pior é ver um truque desse servir de base para o doce ícone da doceria nacional.

(*) Não custa nada lembrar que a Nestlé está destruindo as fontes de água mineral em São Lourenço e Caxambu para engarrafar água desmineralizada e tudo isso nas barbas do governo de Minas Gerais. Triste, não?



Leite condensado caseiro

1 litro de leite integral orgânico pasteurizado mas não UHT (3 a 4% de gordura)
900 gramas de açúcar de cana orgânico
uma pitadinha de cremor tartar (para poder mexer e evitar que o açúcar cristalize)

Como:


Coloque o leite numa panela com o açúcar e deixe ferver. Quando ferver abaixe o fogo, adicione o cremor tartar, mexa mais um pouco e deixe que cozinhe por 25 a 30 minutos ou até obter a textura de leite condensado que deseja. Para testar a consistência do leite condensado colque uma colherada num pires gelado (deixado na geladeira por uma meia hora) e depois de alguns segundos toque o leite com a ponta dos dedos para checar a consistência. Retire do fogo, transfira para um pote esterilizado e conserve em local fresco e seco por até 30 dias (mais de 30 dias eu não sei se resiste pois ainda não testei por mais do que 4 ou 5 semanas).



Use uma panela de fundo grosso com capacidade para mais do que o dobro da quantidade de leite. Lembre que leite sobe...

Usei leite orgânico semi-desnatado, por acaso, mas o ideal é usar leite integral...


Deixe o leite com açúcar ferver em fogo médio e adicione o cremor tartar e mexa para incorporar. Mexer vai aumentar o risco de açucarar, mas o cremor tartar é adicionado exatamente por ajudar a evitar a cristalização do açúcar por isso é importante mexer para testar. Deixe que a mistura cozinhe por 25 a 30 minutos.


Se você não usar o cremor tartar não mexa o leite depois que ferver, exatamente como açúcar e água na hora de fazer caramelo. A quantidade de açúcar é bem grande e eu fiquei mexendo para experimentar e ver se não açucarava mesmo...



Depois de meia hora de cozimento o leite deverá estar bem engrossadinho. O ideal é começar a testar antes de deixar ferver por 30 minutos. O ideal eu acho é começar a testar depois de uns 22 e 25 minutos. Mas o resultado de um litro de leite é diferente do resultado de 2 litros de leite. E o leite integral reage diferente do leite desnatado e o leite daqui é diferente do leite dali. Por isso é importante conhecer o leite e contar que os leites são diferentes e resultam em leites condensados diferentes.




Testar a consistência do leite num potinho ou pratinho gelado é fundamental para evitar que o leite engrosse demais. Mas dependendo do que você vai fazer o fato do leite condensado engrossar um pouco mais pode até ajudar. Se você for fazer brigadeiro por exemplo, o doce vao atingir o ponto muito mais rápido...




Obs.

Na hora de fazer um brigadeiro você vai precisar adicionar mais manteiga do que a habitual colher de sopa/4dl.

Eu adiciono de três a quatro colheres de sopa de manteiga para cada 5dl. Mas aí, mais uma vez, depende do leite que você vai fazer e como vai usar. O leite que eu uso é em geral desnatado.

Se for usar o leite condensado caseiro para fazer uma cobertura brigadeiro para bolo você vai precisar adicionar um pouco de leite comum também pois eventualmente o teu leite condensado caseiro vai estar mais grosso que o enlatado.

28 comentários:

Dani disse...

Bom dia, Claudia, espero que esteja melhor!

Pois, fiquei curiosa: depois de fazer o leite, dá para guardar? Na geladeira? Por quanto tempo?
Outra pergunta: você sabe o nome desse cremor tartar em inglês, ou é isso mesmo?
Eu de-tes-to leite de caixinha, no Brasil é praticamente o que todos tomam... Creme de leite em lata é outra coisa que acho horrenda, já que aqui me acostumei a usar o creme fresco, ou a substituir pelo iogurte natural em alguns casos - ando com mania de colocar iogurte em tudo, adoro.
E açúcar eu só compro o não branqueado para o dia-a-dia - tenho de uns 3 tipos no armário, cada um para uma coisa. O branco, eu só compro em situações de emergência, quando quero fazer algo e não tenho o suficiente do orgânico... A tia do meu ex sempre me falava dos "venenos" usados para branquear o açúcar...
Enfim, uma boa semana para você!
Beijo!

Claudia disse...

Dani,

Eu ainda estou com gripe. Na verdade eu piorei de novo. Esta época do ano é o momento que dou um desenergizada terrível. A falta que o sol faz...

Enfim, depois de fervido o leite com o açúcar você pode guardar em pote esterilizado e enquanto estiver fechado, protegido contra entrada de ar, ele pode ficar em temperatura ambiente. Na geladeira deve açucarar mais rápido. Eu deixo aqui fora da geladeira mesmo depois de aberto pois aqui é sempre + frio, mesmo dentro de casa.

Importante lembrar que até o leite de lata açucara depois de um tempo e olha que eles produzem o leite de lata em perfeitas condições térmicas.

Menina, eu tenho um bode de creme de leite de lata, o que é aquilo? Creme de leite morto, sem vida alguma ali. Parece que as pessoas esquecem que os sabores e a graça dos derivados do leite vem do leite vivo. Creme de leite que não faz queijo nem manteiga não é creme de leite, né?


Ainda, eu também uso iogurte para tudo, só sirvo bolo e doces acompanhados de iogurte e adiciono extrato de baunilha feito com cachaça e dá um super tchan ao iogurte. Creme de chantilly só para as visitas...

Super beijo,

Clau.

Tamy disse...

eu mereço fazer isso em casa... mereço meeeeeeeeeeeesmo e muuuuuuuuuuuuito!!!! TPM chegando... beijok

gasparzinha disse...

Cláudia, que post magnifico! :)
Parabéns.

Claudia disse...

Tamy,

Se joga!

Suzana,

Obrigada!



Beijos,

Claudia

Carol Trostli disse...

Meu Deus.. é tortura o post de hoje? rs rssssssssss beijinhos

Dani disse...

Cláudia querida,

Recebi a encomenda hoje, muito obrigada - foi uma surpresa, tinha esquecido!!!!! Não tem de se desculpar pela demora, achei que você tinha usado as sementes e pronto!
Vou fuçar aqui nas receitas que já publicou, e pensar no que posso fazer.

Um grande beijo, obrigada pela generosidade e vê se fica boa logo!
PS. te mencionei num post.

Claudia disse...

Carol,

Tortura pouca é bobagem!

Dani,

Que bom que chegou rápido. Eu esqueci onde coloquei os envelopes com as sementes que ia enviar para algumas amigas ainda em dezembro e os achei por acaso na semana passada depois de procurar feito louca. Estava dentro de uma mochila que foi guardada no alto do armário antes do natal. Enfim, se a gente não tivesse se preparando viajar e usar a mochila as sementes iriam ficar ali até alguém precisar da mochila. Vai ser desorientada assim...


Bj,

C.

Marcia H disse...

aff que maravilha, você escreveu o que sinto e penso, vou mandar esse posting por email para pessoas queridas, que gostam de comer bem, mas pela praticidade optam por leite de caixinha - o horror de todas as minhas visitas à capital baiana.
Demais, aplausos, aplausos, aplausos
jaette god!

Alcina disse...

Muito bonito este seu post, já li umas partes para o marido, porque meus sogros foram produtores de leite e sei do que voce fala, quanto a beber leite integral purinho só de pensar nisso até me embrulha o estomago, nem posso lembrar do cheiro :-) mas eu também não gosto muito de leite nem do pacote, o que bebo é por pensar que me faz bem!?
Quanto aos brigadeiros adoro, mesmo os unicos que comi, desses feitos de leite de lata :-)
bjs e melhoras :-)

Claudia Lima disse...

Fico meio irritada com esta mania dos brasileiros só se encantarem com sobremesas que tenham leite condensado ou creme de leite.
Quanto mais latas por receitas, mais deliram.
Eu só percebi isto ao sair do Brasil. Aqui nos EUA praticamente não se houve falar nestes ingredientes. Mas com certeza não fariam em casa, pois ninguém quer trabalho com nada.
Eu ainda não fiz em casa, mas achei o aspecto excelente. Com certeza deve ter um sabor superior.
Eu amo Brigadeiros ou Negrinhos, como se diz na minha terra. É o melhor docinho do mundo!
Bjs :)

Luana M. disse...

Claudia, tive um treco com essa postagem! MARAVILHOSA. E como a Nestlé é o reino da picaretagem, céus! Usar a bandeira de um país para enganar milhões por aqui...

Para fazer esse brigadeiro perfeito, vou ter que descobrir o açúcar perfeito. Você conhece alguma marca orgânica de qualidade no Brasil?

Sobre o leite, infelizmente aqui não existe orgânico. Mas eu encontrei o melhor leite para dar ao meu filho, que é tipo A, lotes super pequenos de uma universidade particular daqui da região. O cheiro é de leite fresco, não cheira azedo como o B e o C, e nem é aquela coisa estranha e sem vida do de caixinha (que ninguém sabe se é A, B ou C... Deve ser Z.)

Muito obrigada por postar essa receita.

Luana M. disse...

Fiz e não gostei! Não sei se errei o ponto, mas ficou puxento demais, o brigadeiro. COloquei bastante manteiga, usei o mármore para testar o ponto que chega super rápido.

USei cacau puroooo!

Meu veredicto: muuuuuuuito doce e muito puxento! Acho que fiz alguma coisa errada, não é possível! Ficou super enjoativo. Ainda prefiro o leite condensado Moça, que ao menos não parece tãããããããão doce quando o brigadeiro fica pronto!!!!

marisa rechenberg disse...

Claudia, dificil acreditar, mas LC pode ser 'ainda pior': aqui na Malásia eles adicionam óleo de palma (e vai saber o que mais), então não dá ponto mesmo. O triste (ainda mais) é que o fazem com a desculpa que é para 'enriquecer' o trem que, como é exportado para países do oriente médio e áfrica, onde vai ser diluído e bebido com (blergh) leite, tem que ser assim. A bebida nacional aqui chama-se 'teh tarik', ou 'chá puxado', que é chá preto com muuuito leite condensado, e ai eles jogam de um copo a outro (como servir cidra), para que faça espuma...imagina se dá para ser tao multi-uso, o LC de lata daqui ;) parabéns e obrigada pelo post, vou testar! ah, como a Luana M. disse que ficou muito doce, vc poderia passar a receita de brigadeiro que vá bem com esta receita de leite condensado - que seja para paladares mais..asiáticos?

Dolores Rodrigues disse...

Olá,Claudia,
gostei mto da sua receita. Estou pensando em tentar fazê-la aqui.
Só q fiquei com algumas dúvidas, será q vc pode me ajudar?
Que tipo de açucar organico vc recomenda? Aqui eu achei um demerara, um cristal e o mascavo. Nenhum deles é branco. Qual seria melhor?
O leite - será que aquele que vende gelado, em padaria, tipo A, serviria? Não sei onde encontrar organico...

Ultima duvida: Depois q ferve, vc fala pra colocar o cremor tartaro e deixar por 20 a 30 min, certo? Durante este tempo, o leite nao sobe mais, nao transborda? E se transboradar, o q eu faço? Desligo o fogo? Mexo?

Desculpe tantas perguntas, quero fazer um leite condensado caprichado!

Obrigada,

um abraço,

Dolores

Claudia disse...

Luana,

É preciso ter cuidado na hora de recozinhar o leite cozido com açúcar para não ficar muito puxento. Eu gosto de levemente puxento mas, caso você prefira amolecer, adicione mais leite na hora de fazer o brigadeiro e um pouco mais de manteiga.

Agora, o LC das indústrias leva vários tipos de aromas, todo mundo sabe, por isso o LC de uma não tem o mesmo sabor que o de outra. Mas LC é 50% leite integral e 47% açúcar isso é o que as empresas divulgam de suas receitas. Mas quando a gente se acostuma com uma coisa as vezes leva tempo para apreciar o sabor diferente. Se preferir adicione um tanto de baunilha, canela, amburana ou cumaru ao doce, fica com ótimo sabor. Boa sorte e não desista.

Claudia

Claudia disse...

Marisa,

Sabe que aqui na Noruega o lugar mais fácil de achar LC são nas lojas de produtos asiáticos de propriedade de chineses e vietnamitas. Eles usam para adoçar mesmo, colocar no chá, que horror, eu detesto bebidas doces. Mas as marcas aqui tem um LC igual aos vendidos no Brasil. São todos feitos na Holanda.

Mas o fato de ser multi-uso é explicável pelo fato de dar uma liga fantástica em tudo o que se adiciona o LC e por isso ele é tão usado. Nada contra usarem o que me entristece é a gente considerar ele como base para fazer um doce que se quer ícone da doceria brasileira e aí, para esse papel, o LC não serve.


Beijos,

Claudia

Claudia disse...

Dolores,

A regra de se fazer doce de leite é adicionar açúcar e bicarbonato depois do leite ter fervido para ter certeza que o leite está em perfeitas condições. Mas se você está certa que o teu leite está bom coloque na panela, adicione o açúcar e o cremor tartar e mexa bem. Leve ao fogo e deixe cozinhar MEXENDO de vez em quando até ferver. Quando ferver reduz o fogo e deixa ali por coisa de 15 minutos a meia hora. Vai retirando colherinhas para testar a textura. Isso requer experiência mesmo, várias experiências, mas é divertido ficar experimentando. O cremor é para evitar que o açúcar empedre durante o cozimento, sabe como? Como caramelo? A gente não mexe enquanto prepara para não açucarar e LC também açucara se ficar mexendo demais. Mas com o cremor não vai açucarar e vai dar para mexer um pouco. Se começar a subir abaixe o fogo ou desligue por uns segundos e volte a ligar assim que descer.

Quanto ao leite e ao açúcar, bem, você pecisa usar o que estiver a teu alcance. O melhor é usar leite pasteurizado mas fresco, nada de UHT. Aquilo ali é leite morto. E o açúcar cristal é sempre o melhor para doces dessa natureza. O cristal orgânico branco, não demerara nem mascavo. Mascavo nem pensar. Demerara clarinho ainda vai, mas o cristal ou o refinado branco comum são os melhores.

Boa sorte,

Claudia

Letícia disse...

Adorei a receita, acho que vou testá-la hoje mesmo. Gostaria de saber se você sabe como se faz o creme de leite caseiro, de alguma forma, também, que não utilize leite em pó.
Muito obrigada e parabéns pelo blog!

EudaimonicSmile disse...

Olá Cláudia,

Concordo com tudo o que você escreveu e também estou de acordo que, além de valorizarmos o melhor leite e o melhor açúcar estaremos contribuindo para a preservação da natureza e valorizando um trabalho artesanal. Isso é uma forma de nos afastar do monopólio dos enlatados.
Há alguns anos atrás, quando a minha vida não era assim tão corrida, eu gostava de inventar moda na cozinha e uma das coisas que gostava era fazer leite condensado para preparar o meu doce favorito, o brigadeiro. Acredite, eu comia uma panela sozinha... ;) Parabéns pelo post!

Construção Total disse...

Parabens pelo exelente post! Perfeito!!!!
Aonde eu moro é impossivel achar os ingredientes da receita, mas d qq forma anotei no meu caderninho. Vou pesquisar na internet, de repente consigo os produtos organicos.
Parabens mais uma vez, por se expor, colocar a sua opinião, por dar uma aula de cidadania a todos nós!
bjs,

juliana

Fernanda disse...

Oi Claudia. Eu escrevo aqui da Noruega também. Muito legal esse post sobre leite condensando, artigo raro nas prateleiras do Norte. Fiquei na dúvida com o nome desse creme tartar. Você compra aqui mesmo? Qual a marca? Obrigada e boa noite, Fernanda.

Claudia disse...

Fernanda,

o cremor tartar é uma espécie de sal que encontra-se nos bons supermercados com este nome no setor de temperos ou de produtos para confeitaria... usa-se direto em suspiros.

Leite condensado em lata é uma coisa muito trash mas eu acho que fazendo em casa com o leite orgânico bom daqui e um bom açúcar orgânico a qualidade melhora bastante.

Abs,

Claudia

Anônimo disse...

Nunca li tanta asneira num post só! Leite morto? hahahahaha. Sem contar que o leite em quaisquer formas já é um veneno!

Claudia disse...

Caro anônimo,

Se você é vegan ou coisa parecida, não deveria perder seu tempo comentando uma postagem como esta. De nada adiantaria eu te explicar a diferença entre o que eu chamo de leite morto, os leites super processados e aquilo que chamo de leite ativo, leite vivo, leite fresco intacto, onde todas as proteinas, enzimas e bacterias amigas vivem. Por isso, se vc realmente acredita que leite é veneno, melhor procurar outro blog para conversar.

Boas,

Claudia

Ive disse...

Este blog é uma verdadeira inspiração. As receitas são praticamente uma poetização da culinária. Parabéns.

Dorival disse...

Claudia,

Onde você vive, Suiça?

O que acha do Leitissimo que têm aqui no Brasil?

Abs,
Dorival

Claudia disse...

Oi Dorival,

Não vivo na Suíça não. Atualmente vivo na Noruega onde também há um leite de alta qualidade. Queria muito ver as caixas de UHT proibidas no Brasil. Aquilo é lixo.

O Leitíssimo eu não conheçø, mas quando estou no Rio compro no supermercado Zona Sul um leite que vem numa garrafa de vidro, de fazenda, que é ótimo...

Abs,

Claudia