terça-feira, 12 de outubro de 2010

Pudim de quinoa com cumaru



A semana que passou foi uma semana daquelas, super corrida, semana de férias de outono, compromissos diversos e muitos quilômetros rodados. Entre outras coisas passamos um final de semana prolongado em Oslo. Eu fui na esperança de resolver um assunto de interesse nacional em primeiro turno mas, infelizmente, vamos ter que voltar para resolver a coisa em segundo turno. Quando voltamos para a casa foi só o tempo de reabastecer as malas e pegar a estrada novamente, desta vez em direção ao norte para visitar a cunhada e o cunhado. O tempo não estava muito amigo, chovia e fazia sol tudo ao mesmo tempo agora, mas mesmo assim deu para andar de barco, pescar siris e comer muito siri e camarão.



O estilo norueguês de comer siris e camarões não me agrada muito não, sempre servidos frio e como acompanhamento obrigatório nada além de muita maionese. Também não me agrada o modo norueguês de comer bacalhau, ainda que algumas influências importantes, ventos espanhóis, comecem a se fazer sentir. Mas esses são assuntos para outras ocasiões. No fim consegui improvisar e fiz uma imensa salada com abacate, manga, milho, tomates e pepinos que casou maravilhosamente com os maravilhosos crustáceos noruegueses. Depois da longa semana fora de casa fiquei feliz ao encontrar as sobras de um pudim de quinoa na nossa quase vazia geladeira.



Eu fiz o pudim antes de viajar, não rendeu muito pois eu deixei reduzir bastante pois gosto de grãos macios, bem cozidos. Você pode usar o tipo de quinoa que você preferir, eu gosto de usar a quinoa vermelha para fazer saladas e por isso resolvi experimentar fazer este pudim com a mesma quinoa vermelha que uso em saladas. Se você preferir use a quinoa branca (amarelada)ou a preta. Para aromatizar o leite e dar mais sabor ao pudim eu adicionei raspas de cumaru. Com a casa cheia de sementes eu não estou disposta a deixar de usar essas perfumadas sementes em nada. Na hora de servir o pudim frio eu adicionei umas colheradas de geléia de frutos de rosa. Sirva com a calda ou acompanhamento que preferir. Eu acho que o pudim de quinoa quando servido quente fica ótimo com uma chuvinha de canela em pó apenas, exatamente com o arroz doce.




Pudim de quinoa vermelha com cumaru


125 ml de grãos de quinoa (usei vermelha)
1 litro de leite (usei desnatado)
250 ml de creme de leite
250 ml de açúcar
Raspas de uma semente de cumaru

Como:

Lave a quinoa em água corrente e depois deixe escorrer toda a água. Numa panela grande de fundo grosso coloque a quinoa, o leite, o creme de leite, o açúcar e as raspas de cumaru e, sobre fogo médio, deixe que a mistura cozinhe até ferver. Mexa para evitar que a misture grude no fundo. Quando ferver reduza um pouco o calor e deixe que a quinoa cozinhe até ficar macia e o leite engrossar e reduzir bastante, por 30 a 40 minutos. Se você achar que os grãos ainda estão durinhos deixe cozinhar mais e se preciso adicione mais leite. Eu gosto de grãos macios, mas tudo é uma questão de gosto, se você preferir grãos mais al dente é só reduzir a quantidade de leite.

Quando a mistura atingir a consistência ideal transfira para pratos fundos, taças ou copos. Pode ser servido quente, ou frio como uma alternativa ao arroz doce. Quando servido quente eu acho que fica uma delícia com canela em pó mas quando servido frio eu prefiro com caldas ou frutas frescas.


6 comentários:

Anônimo disse...

Adoro seu blog. Adoro suas receitas.
Pecado voce ter que fazer uma segunda
viagem, mas sera para o bem de todos.O pensamento abaixo foi ESCRITO POR ADRIAN ROGERS NO ANO DE 1931 !!!

"É impossível levar o pobre à prosperidade através de legislações que punem os ricos pela prosperidade.
Por cada pessoa que recebe sem trabalhar, outra pessoa deve trabalhar sem receber.
O governo não pode dar para alguém aquilo que não tira de outro alguém.
Quando metade da população entende a idéia de que não precisa trabalhar, pois a outra metade da população irá sustentá-la, e quando esta outra metade entende que não vale mais a pena trabalhar para sustentar a primeira metade, então chegamos ao começo do fim de uma nação.
É impossível multiplicar riqueza dividindo-a."
Adrian Rogers, 1931


- Faça circular essa verdade ..

Bye
Marcia

Claudia disse...

Márcia,

Discordo totalmente do texto sem sentido que você reproduziu. Nunca ouvi falar do autor mas ele está por fora de tudo e não entende nada sobre desenvolvimento e riqueza. Talvez por escrever sobre um mundo que não conhece. Um texto de 1931? Ora, nessa época ainda havia gente defendendo a volta da escravidão no Brasil. É um texto escravocrata, não?

Esse teu textinho não se aplica em nada ao Brasil de hoje.

O Brasil nunca puniu os ricos por sua prosperidade e não está fazendo isso agora. Se você conhece alguma coisa sobre o Brasil sabe que ocorre no nosso país exatamente o contrário. A população pobre vem pagando a conta dos ricos desde os tempos da colonização.

E quem financia o crescimento do país hoje é o governo e isso não é resultado de aumento de impostos cobrados dos ricos. De onde você tirou isso? Seria ótimo se nosso país realmente taxasse as grandes fortunas, mas não faz isso.

A riqueza que está sendo dividida ainda é pequena, é investimento público e não divisão de riqueza. Quem dera que o Brasil estivesse fazendo divisão de riqueza. No entanto o pouco que se investiu no povo já é suficiente para alterar a vida de muitos.

Hoje grande parte dos nossos miseráveis deixaram de viver na indigência total e passaram a ser pobres. A pobreza no sentido mais tradicional do termo dá alguma chance de futuro, confere alguma dignidade e possibilidade de ascensão, ao contrário da indigência que é o fim da linha, o fim de tudo. E você acha isso errado? Ou você não acha que a "nova classe média brasileira" não continua ainda muito pobre?

Além disso, se formos comparar todo o tipo de insenções fiscais concedidas pelos governos federal e estaduais aos "grandes" empresários até hoje até hoje eu diria que o que se investe no povo hoje não é nada. Nada. A dívida é altíssima.

Somos o país mais desigual do mundo, acumulamos os piores recordes do planeta na mão de governos que só queriam enriquecer as elites, fomos o último a abolir a escravidão e até hoje nossa "elite" rica ainda é campeã no ranking da crueldade.

Me surpreende a desumanidade e o egoísmo de algumas pessoas que criticam os projetos sociais do governo. Só posso pensar que elas querem tudo para elas. Como era antes.

Dá para imaginar o que seria do Brasil se o governo federal continuasse investindo no povo? Se investisse no povo o tanto que alguns governos estaduais gastam com publicidade (que é paga só aos ricos)? Governos como o do Estado de SP gastam mais com publicidade do que com bolsa família, dá para acreditar?

Com nossos ricos insistindo em se portar como senhores de escravos o fim da indigência é visto como crime! Onde já se viu isso?

Cláudia

Anônimo disse...

oooooooooooppppsssssssssssss !!!!!!!!!!
interpretei mal seu ultimo post.
nao tinha entendido seu lado, estava
atenta na receita.
de quaquer forma nao reconheco esse
nosso governo, ou melhor essa vergonha.
aqui de qualquer forma, o rico e rico,o pobre vive de bolsas e nao
trabalha, nao evolui e a classe media
esta acabando porque sustenta o rico e o pobre. voce nao conhece
mais o seu pais.

Dani disse...

Acho engraçado como há certas pessoas usando a Internet para fazer circular "certas verdades", como se essa não fossem, em parte, subjetivas. Há os que pensam no todo, outros, no particular. Enfim, ainda bem que ainda não recebi nenhum e-mail ou mensagem para passar adiante nessas eleições, há umas pessoas "pirando" de verdade.
Mas o que queria dizer é que o pudim está lindo, nunca usei quinoa, tenho curiosidade.
Anteontem fiz uma espécie de chai, e acrescentei amburana - ainda tenho algumas - e ficou tão perfumado e delicioso - coloquei também cardamomo, galagal, cravo e canela.
Um beijo!

Dani disse...

ps. "essas não fossem", erro de digitação, ainda sei o que é plural, rs.
ps2. aqui e na França, também preparam alguns pratos com frutos do mar frios; na França, acompanhados de aioli, que adoro. Gosto, mas prefiro também os pratos quentes - com exceção das ostras, que para mim têm de ser frias, nada de fritá-las, coisa e tal.
Beijos!

Claudia disse...

Dani,

O povo da oposição está pegando pesado. Essa eleição está assustadora. Enfim, a quinoa é saudável e faz um pudim gostosinho mas tem que cozinhar bem para não ficar duro, eu gosto de pudim macio e aí fica legal. Arroz é mais fácil, cozinha mais rápido e o sabor é mais básico. Mas eu gostei do pudim de quinoa. As amburanas são perfumadíssimas, né? Vou te mandar umas cumarus, estou com a casa cheia e gosto de dividir! Aguarde!

Mas sabe que eu gosto de frutos do mar frios, adoro sushi e ostras mas siri e camarão eu prefiro quente. Ainda que maionese de siri com abacate servido com gaspacho é um sonho, mas aqui está um super frio e eu preferiria em fazer siri gratinado...

Beijos,

C.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...