segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Pão com abacate e mel...



Eu amo fazer geléias mas na hora de comer eu como muito pouco. O devorador de geléia aqui em casa é o Per, come todas as geléia que eu faço e não se cansa. E ao que tudo indica ele gosta de todas pois nunca reclamou de nenhuma e olha que são muitas. Eu gosto de comer geléia, mas não gosto muito de geléia com pão. Gosto de geléia com biscoito ou com queijo, mas de vez em quando... No pão eu gosto de ovo, manteiga e mel. Não necessariamente juntos e ao mesmo tempo, prefiro separados. Mas manteiga e mel é uma mistura ótima. Melhor do que pão com manteiga e mel, ou melhor, tão bom quanto pão com manteiga e mel é pão com abacate e mel. E eu comi esse meu pão branco fresco assim, com abacate e mel de acácia. Eu sou louca por abacate com mel e como direto, praticamente todos os dias e desde que decidi parar de comer manteiga passei a comer abacate com pão. Além do abacate ser ultra saudável (não me venha com calorias que elas não me assustam) é muito gostoso. Se você prefere abacate com sal salpique um salzinho so seu! Eu sou brasileira e gosto mais de abacate doce!



A receita do pão da foto é velha, a primeira vez que fiz me apaixonei pelo resultado e decidi comprar o livro do autor do método. O livro chama-se Dough e o autor é o padeiro francês radicado na Inglaterra Richard Bertinet. Desde então já testar todas as massas dele e todas ficam ótimas. Mas apesar de ter feito a receita várias vezes, já publiquei uma vez aqui a receita começou a dar zica. Tudo começou a dar errado quando eu passei a usar farinha de trigo integral orgânica e troquei de fermento. Os pães em geral perfeitos, leves e macios ficaram pesados e sem maciez alguma. Vieram me contar que as farinhas orgânicas tem menos proteína. Será? Mas olhando os rótulos das duas farinhas eu descobri que a orgânica tem 3% mais proteína do que a comum, hum, muito estranho. Troquei o fermento, troquei a farinha e o pão em versão branca deu certo. Ficou perfeito e orgânico. Estou com medo de testar a versão integral. O pão de centeio preto também deu certo. Acho que o problema é a farinha integral mesmo. Preciso experimentar mais para entender.





Pão de forma branco

10g de fermento ativo seco
500g de farinha de trigo comum
10g de sal (a receita pede 10 g eu uso menos! Reduza se preferir)
350 ml de água em temperatura ambiente


Como:

Num pote grande, ou sobre uma superfície limpa, coloque a farinha, o fermento o sal aos poucos va adicionando a água. Usando as mãos misture os ingredientes até incorporar totalmente a água e formar uma massa grossa e grudenta. Transfira a massa para uma bancada sem a enfarinhar e comece a trabalhar a massa com as mãos. Sem bater na massa, vá simplesmente esticando para cima e dobrando a parte esticada por sobre a massa ainda na mesa, esticando e dobrando novamente e dando umas boas amassadas na massa, por cerca de cinco minutos, até formar uma massa macia que desgrude das mãos e da bancada. Faça uma bola, dobrando as bordas da massa para cima, enfiando para dentro da massa e prendendo com o dedo. Coloque a massa no pote salpicado de farinha, salpique um tantinho de farinha sobre a massa e deixe descansar por uma hora ou até que dobre de tamanho.

Depois que a massa cresceu coloque-a numa bancada e, usando as mãos, abra um retângulo de massa com cerca de 50cm X 30cm. Com o retângulo deitado de frente para você dobre a parte da esquerda até o centro imaginário do retângulo e depois dobre a parte direita igualmente até o centro do retângulo formando um quadrado. Dobre a parte dobrada do lado esquerdo sobre o lado direito formando um cilindro e pressione as pontas para fechar bem. Abra o cilindro de massa de modo que a emenda das dobras que você acabou de colar fiquem no meio do pão na parte de baixo. Coloque o pão numa forma untada e enfarinhada, ou forrada com papel manteiga, ou use uma pedra de forno se você preferir cubra com um pano limpo e seco e deixe a massa crescer por mais uma hora.

Enquanto a massa cresce pré-aqueça o forno a 250C. Polvilhe a superfície do pão com farinha e faça um corte com uma faca na superfície do pão. Se preferir deixe sem cortes como eu fiz desta ves. Reduza o forno para 220C e asse por 30 minutos ou até que fique bem dourado.

Se desejar obter uma crosta mais dura, borife água nas paredes do forno na hora de colocar o pão, o vapor garante um crosta maravilhosamente dura. Eu preferi fazer um pão mais maçio desta vez, tipo pão de forma mesmo e ficou perfeito assado sem vapor...

Rende um pão com cerca 850 gramas.

10 comentários:

Tina disse...

Hummmm!! amo abacate...mas no pão nunca havia ouvido falar...vou experimentar...e com sal tambem não, será que é bom?
hummmm...vou ver se tenho coragem de experimentar.rsrsrsrsr
beijinho
Tina (meu cantinho na roça)

Claudia disse...

Tina,

Eu amo abacate com mel e como o abacate é bem gorduroso e macio dá para misturar com mel e comer como uma "manteiga" de abacate. Eu acho que fica uma delícia e é uma gordura poderosa e super saudável.

Bj,

C.

gasparzinha disse...

Claudia, quando fizeste com farinha integral, usaste mesmo só farinha integral?
Eu uso 60% de farinha branca e 40% integral, assim a massa fica óptima.
Beijinhos :)

Claudia disse...

Gasparzinha,

Dessa vez eu não fiz apenas com farinha integral não, usei 50%-50% mas como o Bertinet no livro fala que é possível usar 100% de farinha integral e usar o método da brown dough eu achei que não teria erro, mas deu bem errado. Per comeu o pão, mesmo duro, mas eu e as crianças gostamos de pão mais macio e deixamos o pão duro para trás!

Bj,

C.

Isabel disse...

Claudia,
Eu adoro abacate e como muito, sózinho ou em saladas, mas com pão nunca provei. Abacate é uma super food, sou fã. Qualquer dia vou provar com pão e mel, pra ver se gosto :)
Bjs

Noémia disse...

Cláudia, esse seu pão tem um aspecto óptimo!
Eu também adoro abacate e acho que me deu uma grande ideia quando diz que substituiu a manteiga por abacate. Eu gosto muito de manteiga(pura) no pão mas a minha gente passa a vida a buzinar os meus ouvidos de que exagero demais no uso da mesma e que isso faz mal. Vou aproveitar a sua dica e substituir pelo menos aquela que como aqui em casa, já que fica um pouco difícil substituir a que como por fora.
Obrigada!

moranguita disse...

nunca experimentei a combinçao do pao como abacate.
ja o pao sim esta excelente
beijinho

Beth disse...

Vim conhecer seu blog e fiquei encantada com o blog e com as receitas!
Tem um selinho prá você no meu blog.
Beijos
Beth

Dani disse...

Claudia,

Como disse outro dia, também gosto de geleia com biscoito; com pão, apenas se não há outras opções. Não gosto da mistura das texturas, não sei explicar.
Adorei esta sugestão, pois adoro abacate e não como manteiga sem ser em pratos cozidos (e não pode ser muita) - passo mal, e para mim tem gosto de sabão.. -, por isso ou como pão sem nada, ou com queijo de cabra light, ou mel, ou azeite. Vou experimentar.
O meu ex tinha este livro, e sempre fazia os pães com farinha branca. Eu repito a minha receita de pão com pequenas variaçôes das farinhas, mas até hoje não consegui acertar na leveza com a farinha integral ou de centeio. Tento diferentes proporções, métodos, mas às vezes - mais frequentemente - o pão sola. A minha prima faz bolos integrais para fora e disse que demorou até encontrar a medida exata da farinha integral e do açúcar mascavo nas massas, que várias foram para o lixo porque desandaram. Cozinhar com ingredientes integrais é uma arte, pois são mais pesados.
Ah, estive na França até ontem e vi uma geleia de figo noir com chocolate, não comprei na hora, e depois esqueci. Arrependidíssima!
Um beijo!

Luciana disse...

Claudia, por favor me diga onde posso encontrar esse Mel de Acácia para comprar??? Estou procurando e não encontro! Obrigada! Luciana