quarta-feira, 11 de julho de 2012

Meu Angu com Molho de Carne Moída: Mas Chame de Polenta se Desejar...



Vou entrar fazendo uma declaração radical. Eu não tenho paciência para produzir fotos de comida. Zero disposição para produzir e fotografar. Com fome então, nem se fala, simplesmente não consigo. E este é o principal motivo pelo qual eu raramente publico pratos salgados neste blog. Eu cozinho para a minha família e, consequentemente, é difícil cozinhar e fotografar antes de servir jantar. Está todo mundo com fome, eu inclusive, não dá para esperar. Mas eu estou tentando mudar isso já que estou tentando dar uma nova direção a este blog. Ainda que o cardápio salgado seja muito simples, e vou me esforçar para quebrar o padrão e mostrar muita "jantinha" por aqui.

Mais uma declaração radical. Eu estou deixando de comer açúcar (sic). Espero que ninguém tenha caído da cadeira diante desta revelação. Sim, desejo parar com o açúcar mesmo, mas ainda não é um parar radical. Mas já estou reduzindo muito, substituindo açúcar refinado eu já substitui. Mas quero ir mais fundo, dar uma desintoxicada. Açúcar é um assunto longo e delicado, mas tenho tanta coisa para falar sobre ele que acho que preciso começar uma série de postagens sobre isso.

(Angu deliciosamente encoberto por uma nuvem verde de rúculas e espinafres do jardim)

(E com uma camada de salsinha fresca picada, também do jardim)


Mas, enfim, uma nova tendência se desenvolve por estas páginas, a começar pelo aparecimento de um número maior de pratos salgados, ainda que representados por fotografias cada vez mais mambembes. Sinto informar, mas a paciência para fotografar está me abandonando, equipamento novos e pesados já não me seduzem mais, me cansam... E enquanto centenas blogueiros de todo o mundo viram fotógrafos apaixonados a cada dia, eu, que já fui uma fotógrafa profissional, editora de fotografias da Agência Folha (de S.Paulo) por quase sete anos, assisto calada cair por terra o traje gasto do meu antigo ofício. E me desfaço dele sem dor.

O fato é que, para mim, nos dias de hoje, as fotos cansam, a estética dominante anda repetitiva e sem graça. Claro que eu produzo, reproduzo, faço parte da maioria, e compreendo a fascinação das pessoas, mas não me emociona mais e esta sensação me deixa um tanto paralisada. Inúmeras são as postagens que perdi para sempre em função das fotos que não consigo publicar e/ou deixei de fazer. A nível estético o que ainda me encanta na fotografia hoje é uma espécie de primitivismo, uma imagem quase que construída a mão e produzida artesanalmente por alguns poucos fotógrafos. Preciso de outra fotografia, uma foto que não serve para o blog. Crise quase que total.

Eu não gostaria de ver a fotografia voltar no tempo. Claro que não. Mas a repetição do modelo, quase viciado, criado a partir da facilidade proporcionada pela foto digital e seus truques de edição, me cansa... Gosto de uma foto mais primitiva, mais rústica, riscada, marcas de luz num papel...imagens sujas e tremidas. É estou noutra direção mesmo. Mas mudando de assunto....


As imagens de hoje saem como um parto, para constar, fazer número, desprovidas de tudo. O que elas deveriam mostrar? Uma imensa saudade do Rio de Janeiro. Uma saudade que dói, dói muito. Vontade de andar sobre pedras portuguesas, de comer comida de botequim. Vontade de respirar fundo e sentir o cheiro de ar muito úmido, vontade de pegar um temporal e sentir calor forte, calor de verdade. Vontade de cheiro de maresia, água de coco de verdade, línguiça frita, pastel, empada, croquete. Angu do Gomes. E aqui está. Angu do meu jeito. Angu com molho de carne moída. Sei que há quem prefira chamar angú de polenta, mas como carioca e brasileira orgulhosa que sou, essa bola eu não passo para os italianos. Não é o tradicional angú com sarapatel, é apenas a minha versão, para lembrar dos sabores do meu Rio de Janeiro. Para completar uma nuvem de verduras frescas, recém colhidas do nosso jardim: rúcula, espinafre e salsinha.



Angu com carne moída


Para o molho de carne moída

400g de carne moída (use a carne que preferir)
1 colher de sopa de óleo de coco extra virgem
1 cebola grande picada
3 dentes de alho grandes raladinhos
2 talos de cebolinha picada
1/4 de pimentão vermelho picadinho bem pequenininho
1 lata de tomates cereja em suco de tomate
4 a 6 colheres de chá de uma mistura de páprica, cominho, semente de coentro, curcuma, canela e pimenta do reino
salsa a gosto
200ml de vinho branco
300ml de água
sal a gosto


Como:

Primeiro prepare o molho e deixe cozinhar em fogo baixo para apurar bem. Em fogo alto esquente o óleo de coco, doure a carne, doure a cebola e o alho, cuidado para não queimar. Adicione o vinho, abaixe o fogo para médio, deixe a carne cozinhar um pouco até evaporar o vinho. Adicione os temperos, sal e a água e deixe cozinhar. Adicione mais água se precisar. Quando a carne estive no ponto adicione os tomates em suco de tomate e deixe ferver por uns 5 minutos (você não quer que os tomates quebrem. Quando estiver pronto adicione a cebolinha e a salsinha.

Para o angú


200g de farinha de milho para angú (fubá grosso)
1,5 litro de água ou caldo de legumes caseiro (nada de cubinho!!)
Sal a gosto

Como:

Enquanto a carne cozinha prepare o angú. Ferva 1,5 litro de caldo de legumes ou frango ou água com sal mesmo. Quando ferver adicione a farinha de milho, aos poucos e usando um fouet mexa bem para incorporar e não embolar. Abaixe o fogo pois quando ferver vai começar a espirrar. Deixe ferver por uns 10 minutos ou até que a massa solte do fundo da panela. Atenção para não agarrar e queimar. Sirva imediatamente com molho de carne da sua preferência e salada verde.




8 comentários:

Kati Monteiro disse...

Cláudia
Na minha terra (Recife) o nome também é angu muito antes de virar polenta.
Compreendo perfeitamente esta saudade do ar úmido, do calor, das comidas de botequim, da areia sob os pés, do cheiro de mar...
O seu prato deixou uma saudade no ar..
Beijos

Luiz Claudio disse...

Que boa surpresa poder conhecer teu blog; achei muito legal. Aproveito para agradecer sua visita e dizer que sou mais um de seus seguidores.
Bom apetite e até breve!

Luiz

Alcina disse...

Essa coisa de tirar fotografias na hora da comida não é mesmo fácil, nem quando se tem vontade, cá em casa como eu insisto o marido faz sempre cara feia e o pequeno adora e aproveita para se meter na frente e ajeitar as coisas á maneira dele e encosta-se e eu tiro-lhe fotografias a ele também, é uma animação :-)

Léia disse...

Conheci angu como a polenta sem tempero, somente feita com agua e o milho ou fubá.Mas hoje em dia a gente chama do que quiser.Afinal o que importa é o sabor.Só não agoei pelo seu angu, pq por coincidencia foi o meu menu de hoje no jantar.Mas ficou com um aspecto
ótimo.Gostei.Bjos.

Carol Stehling disse...

Oi Claudia! tentei fazer a massa folheada ontem e não deu certo!!! não usei nem 50ml de água e ficou muito mole!!! acrescentei mais farinha, mesmo assim ela continuou mole, quando estava na geladeira ficava na consistência certa, mas era só tirar para fazer as dobras que ela grudava toda no rolo!!! resultado, tentei fazer na hora uma tortinha na maquina de tortas e ficou como massa podre, nem consegui tirar da forma!!! a massa está na geladeira, bem dura por sinal... tem alguma salvação ou perdi mesmo os ingredientes?! não entendo, fiz tudo certo, usei um pingo d'água, e ficou tão mole!!! se tiver salvação, por favor me responda! carol_stehling@yahoo.com.br obrigada, beijos!

Cristina disse...

Fotos arrasadoras, prato delicioso e cheio de lembranças!!

Jane Lea disse...

Isto sim, pra mim é Sabor Saudade, saudade da infância, da minha vó, de meus pais, meus filhos a quem eu fiz muito angu e ainda faço e adoroo, principalmente no inverno, é como se aquecesse a alma e o estômago, é claro. Meu pai faz, mas no ponto de polenta, como falamos em são paulo, daquela polenta que corta para fritar, fica muito bom.

Bj Claudia e até breve!!!

Valentina disse...

Voce sabe que eu não consigo gostar de angu. Não vou dizer que não goste, mas não me encanta. Só uma vez comi um angu que fez meus joelhos tremerem. Acho que também é hábito pois na minha casa nunca comiamos angu - que me lembre .Agora este teu prato está tão lindo. A textura do angu, com a carne e o verdinho. Cada garfada com texturas interesante. E visualmente excitante, colorido.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...