sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Pastéis de Natas com Creme de Amburana e Baunilha: Na cozinha com Daisy 2



Massa folheada está entre as poucas coisas que minha mãe nunca tentou fazer em casa. Ela nunca se interessou por massa folheada pois nunca usou esta massa para nada lá em casa. Não crescemos com receitas que levassem massa folheada. Todas as tortas e empadas e pastéis feitos lá em casa levavam massa podre ou massa simples de empada e aquela outra de pastel... Massa folheada era comida de rua e minha paixão por massa folheada foi adquirida circulando pela aí e comendo nas muitas padarias, cafés e docerias da vida...



Minha mãe sempre me perguntava, surpresa: "Mas como é que você tem paciência e tempo para fazer massa folheada?" E eu respondia: "Eu faço porque adoro e acho até fácil e uso a receita mais fácil que encontrei na praça e que já testei dezenas de vezes e sempre funciona". Ela: "Ah, então tá, mas mesmo assim..." Minha mãe anda numa fase bem devagar, diz que já cozinhou tudo o que tinha que cozinhar e mais alguma coisa. E é verdade, mas curiosidade ela ainda não perdeu e lá fui eu demonstrar minha massa folheada.



A receita que eu uso é baseada na versão simplificada desenvolvida pelo padeiro francês Michel Roux no livro Pastry ... Olha, eu não coleciono livros de receitas, na verdade não coleciono nada além de bules de chá antigos, mas enfim, esse livro é uma contribuição e tanto para quem quer fazer massas de forma simplificada.

Estes pastéis são 100% orgânicos e para isso tive que usar manteiga com sal pois manteiga orgânica na Noruega só com sal... ossos do ofício. Se você deseja usar manteiga com sal na massa folheada basta substituir a manteiga e deixar de fora a quantidade de sal indicado nos ingredientes.



Pastel de Natas com Creme de Amburana e Baunilha


Receita de Pastel de Nata originalmente publicada aqui

Massa Folheada:


Cerca de 350g de massa folheada caseira clique aqui e veja como é rápido e fácil fazer esta massa

Recheio:


500ml de leite desnatado orgânico
4 gemas grandes de ovos orgânicos
40 gramas de amido de milho orgânico
70 gramas de açúcar de cana orgânico
1/4 de colher de chá de baunilha em pó (opcional)
5 a 10 sementes de amburana (use a gosto) (opcional)

Bata as gemas com o açúcar até esbranquiçar. Adicione o amido de milho peneirado e misture para incorporar totalmente. Enquanto isto leve o leite com a baunilha e as amburanas ao fogo médio e mexa sempre para não grudar no fundo. Quando ferver misture o leite a mistura de gemas, lentamente, mexendo sempre com um batedor para evitar que as gemas talhem. Quando o leite estiver totalmente incorporado as gemas transfira a mistura de volta a panela e leve mais uma vez ao fogo médio mexendo até engrossar. Quando tiver formado um creme grosso retire do fogo, transfira para um pote de vidro e deixe esfriar.

Como:

Primeiro prepare o creme deixe esfriar levemente enquanto você prepara a massa para forrar as forminhas.

Unte 12 formas de empada ou de muffin e reserve. Abra a massa folheada até formar um retângulo com cerca de 50X30cm e com cerca de meio centimetro de espessura. Divida a massa ao meio em duas partes iguais. Coloque uma parte em cima de outra e enrole as duas massas até formar uma torinha com 4 a 5cm de diâmetro. Corte fatias com cerca 1 cm de espessura da torinha de massa e abra cada uma delas até formar um círculo com cerca de 10 a 12 cm de diâmetro. Coloque o círculo dentro da forma, deixando uma borda de massa para fora da forma. Cuidado para não encher demais pois a massa vai encolher e o recheio vai inchar durante o cozimento e por isso é bom deixar uma margem para fora mesmo.

Asse os pastéis em forno pré-aquecido a 220C até as bordinhas da massa ficarem douradas o creme começar a formar manchinhas douradas, cerca de 20 a 25 minutos. Retire das formas ainda quente e deixe esfriar num prato ou arramado. Cuidado para não assar demais e talhar e/ou ressecar demais o creme de gemas. Os pastéis da foto ficaram com a consistência perfeita. A borda da massa no alto dos pastéis ficou um pouco grossa, mas a base e a lateral da massa ficaram finas e crocantes, do jeito que eu gosto e a quantidade de creme foi ideal.

Rende 12.



As fotos estão lavadérrimas, mil perdões, mas é que ando sofrendo com a luz, ou a falta dela, durante as fotos esta época do ano... mais uma vez, ossos do ofício...

6 comentários:

Beth disse...

Adoro pasteis de natas jà à bastante tempo que não realizo agora me chegou a vontade!

estas tuas ficaram muito bonitas adorei!

Beijinhos

Claudia disse...

Beth,

Eles dão um certo trabalho... fazer a massa e depois fazer o creme requer mesmo alguma disposição... mas como tinha vários planos para toda a massa ficou bem mais interessante fazer...

Bj,

Claudia

Valentina disse...

Claúdia, gosto muito desta receita simplificada do Michel Roux. Vi o danado preparando a tal num programa uma vez e desde entao nunca mais comprei massa folhada - costumava ter na geladeira para emergências. ISto morta de inveja destes teus pastéis. que lindos que sao. Inveja boa obviamente -; o ) Assim, aquela vontade de fazer tao bem, e que saiam tao fofos quantos.

saborcomletras disse...

Cláudia, conheci amburana recentemente e para minha surpresa é uma semente de cerejeira... árvore da amazônia e tão presente no mobiliario brasileiro... me encantei com o sabor suave e deve ter ficado muito bom nestes pastéis. Abraços, Adrina.

Claudia disse...

Valentina,

Eu adoro massa folheada e nunca consegui gostar das massas congeladas prontas, são feitas com 100% gordura vegetal, eca!! parece que arranha no céu boca quando provo, como margarina... só gosto daquelas feitas com manteiga... ainda fiz a massa tradicional algumas vezes, mas quando descobri o livro do Roux e essa versão simplificada adotei na hora...

Ele tinha um restaurante em Londres, será que ainda tem? Será que está vivo ainda? Era velhinho...

Bj


Sabor com Letras,

Amburana é um achado... uma daquelas coisas que abundam no Brasil, cheia de aroma e perfume mas que ninguém conhece... exceto se vier "pela rodovia dos gringos", sabe como? Minha mãe tomou um monte de chá esses dias para uma indigestão, fica boa na hora. Só ferver 4 ou 5 sementes, apagar o fogo e deixar uns minutos em imersão... que aroma, que perfume que deixa na casa... Serve de aromatizador de ambiente também.

Bj,


Cláudia

Anônimo disse...

você faz com essa massa pastéis com recheio salgado? ambanhi@hotmail.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...