quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Uma Sopa de Tomate Perfeita, com Foccacia...




Eu sempre tive dúvidas se realmente amava sopa de tomate pois, ao mesmo tempo que já experimentei sopas de tomate maravilhosas, de tirar o fôlego de tão boas, eu também já provei sopas de tomate horrorosas de doer e traumatizar. Eu mesma já fiz sopas de tomate que deixaram muito a desejar. A qualidade do tomate é o ponto de partida para uma boa sopa. O tomate para fazer sopas precisa ser maduro e doce, para não deixar na boa e na garganta aquela sensação de acidez prolongada e, além disso, não são todos os tipos de tomates que servem para sopa. Como nem todos os tipos de tomates maduros servem para sopas, é preciso investigar aqueles adequados entre os tipos de tomates vendidos na sua região. Os nomes dos tipos de tomates variam de região para região e eu não vou me arriscar e dar nomes, se é "carmem" ou se é "ameixa". Os tomates para sopas geralmente também são indicados para fazer molho de tomate.

Ao mesmo tempo que é difícil achar o tomate perfeito para sopas o ano inteiro, principalmente em alguns lugares do mundo, ficou muito fácil achar tomates pelados em lata, ou caixa, que são de excelente qualidade, produzidos com tomates colhidos no auge de sua estação. Nos dias de hoje tomates pelados tornaram um produto comum na despensa de todo mundo. Tomate é o único produto vegetal que compro em caixa (não compro nada em latas, exceto quando indicado que a lata não é forrada com plástico que contém Bisfenol A ou (BPA). A marca de tomate orgânico que eu uso deixou de usar latas com bisfenol e passou a usar aquelas caixas tipo tetrapak.





Mas mesmo com tomates pelados de boa qualidade, a sopa de tomate pode ficar ácida e com aquela sensação incômoda cortante na garganta. Para evitar o sabor ácido acentuado há quem adicione açúcar (quelle horreur!), mas eu faço uma misturinha com outros vegetais, o que deixa a sopa com o sabor bem acentuado de tomate, mas com sabor muito suave. Eu costumava adicionar cenouras as sopas e molhos de tomates, mas agora além de cenouras eu adiciono batatas e batata doce e o resultado fica sensacional. Além de dar uma consistência sensacional e aumentar o valor nutricional da sopa, o sabor fica bem suave e sem nenhum ácido. No lugar de açúcar cenoura e batata doce que já são bem doces.

Se você prefere fazer uma sopa utilizando tomates frescos, faça e contrabalance a acidez com legumes adocicados e com bastante amido, o que ajuda a quebrar a acidez. Mesmo que você goste de sopa de tomates pura, eu insisto que se provar esta, você irá se surpreender, pois ela fica sensacional. Perfeita na minha opiniao. Para acompanhar uma fatia de foccacia caseira, uma versão da receita que foi publicada aqui.






Sopa de Tomate


1, 5 kg de tomates pelados (usei 3 caixas de tomate pelado orgânicos com 500g cada)
2 cenouras médias
2 batatas grandes
1 batata doce imensa ou duas médias
2 cebolas médias ou uma grande
4 dentes de alho
3 colheres de sopa de massa de tomate
orégano fresco a gosto (use seco se preferir)
manjericão fresco a gosto
sal e pimenta a gosto
azeite de oliva extra virgem
1 litros de água fervendo


Como:

Use de preferância uma panela de fundo grosso com capacidade para pelo menos 5 litros. Sob fogo médio, coloque duas colheres de sopa de azeite na panela e refogue as duas cebolas cortadas grosseiramente em fatias até ficarem translucidas. Adicione o alho picado e refogue por mais alguns minutos. Adicione a massa de tomate e misture bem para incorporar ao refogado de cebola e alho. Adicione um tantinho de água fervendo e deixe que refogue por uns dois minutos. Adicione os tomates pelados, uma caixa de cada vez. Quando a mistura de tomates começar a ferver, adicione as cenouras fatiadas, a batata doce cortada em cubos grandes, as batatas fatiadas, as ervas a gosto e o sal. Adicione o resto da água fervendo, aos poucos, e deixe que cozinhe até que todos os vegetais estejam bem macios. Retire do fogo e usando o liquidificador ou um mixer de mão (varinha mágica em Portugal), processe a sopa até ficar um creme bem homogêneo. Adicione mais sal e pimenta do reino se necessário. Adicione salsinha por cima se desejar.

Serve 6 a 8 pessoas.





Foccacia do meu jeito


Uma versão desta receita aqui com fermento seco


10 DL (4 xícaras de 250ml) de farinha de trigo
4 DL (400ml) de agua fria ou temperatura ambiente
6g (colher de sopa) de fermento em po seco
1 colher de cha de sal
4 colheres de sopa de azeite de oliva
Sal grosso a gosto para finalizar
Alecrim fresco ou seco a gosto para finalizar
Mais azeite de oliva para finalizar

Como:


Num pote grande coloque a farinha e o fermento seco. Como estou usando fermento seco, basta misturar o pó do fermento com a farinha usando uma colher. Num outro pote misture a água, o sal e o azeite e adicione à farinha. Usando as mãos comece a misturar até incorporar totalmente e formar uma massa grudenta. Quando a mistura estiver totalmente incorporada trabalhe a massa por 5 a 7 minutos ou até que ela fique bem macia e solte totalmente das mãos. Mas nada de violência com a massa. Estique-a e dobre a massa ao meio, repita isso por un 5 a 7 minutos até formar uma massa macia. Depois de trabalhar a massa, transfira-a para uma superfície levemente esfarinhada e trabalhe a massa por mais um minuto. Faça uma bola com a massa, dobrando as bordas para baixo. Salpique farinha no pote, coloque a massa e cubra com um pano limpo e seco. Deixe a massa crescer coberta, em local protegido do frio, por pelo menos 45 minutos, o ideal é deixar crescer por uma hora. Quando a massa estiver no ponto, divida-a em duas partes e, usando as mãos, abra dois retângulos. Unte duas formas retangulares pequenas com bastante azeite coloque a massa aberta com as mãos. Cubra e deixe crescer por mais 20 a 30 minutos. Antes de assar adicione um pouco mais de azeite extra virgem por cima da massa, o sal grosso a gosto e o alecrim. Cada parte rende uma foccacia retangular fina. Se desejar uma foccacia mais grossa, coloque a massa inteira numa forma e deixe crescer por meia hora. Para deixar a massa a superficie rustica, faça buraquinhos na massa usando os dedos.


Asse por 20 minutos a 220C em forno pré aquecido.





Os acessorios usados nesta foto, depois de lavados...

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Paisagem da Janela e Minha Receita de Canjica de Milho com Leite de Coco



O inverno esta bombando la fora, um inferno na minha opiniao. Mas visto daqui de casa, pelas janelas, o inverno parece lindo e branco e romantico. Eu adoro a vista das janelas de casa, estou sempre tirando fotos que, apesar de parecem identicas, sao diferentes umas das outras, ainda que em pequenos detalhes, como os tons de azul e cinza do céu. Algumas dessas fotos foram feitas de dentro de casa mesmo, nao botei o nariz para fora para fazer, e pode-se perceber o reflexo de luzes interiores, de portas. Mas em outras eu estava flanando pelo jardim pois mesmo que sob protesto, eu sempre saio de casa...









Nestes dias virou uma especie de tradicao minha fazer canjica de milho com leite de coco. Além de ser um dos meus pratos favoritos, combina demais com o frio intenso desta época do ano. No Rio de Janeiro a canjica é um prato de inverno e muito apreciada durante as festas juninas. Na hora de fazer eu uso uma receita muito pessoal que mistura agua, leite de vaca e leite de coco, mas nada impede voce de excluir o leite de vaca e usar apenas agua e leite de coco. Neste caso, basta dobrar a quantidade de leite de coco. Se preferir use outro tipo de leite (soja, amendoas, castanha de caju, aveia etc...).









Canjica de milho com leite de coco



2,5 DL (1 xicara) de milho branco para canjica
7,5 DL (3 xicaras) de agua
4 DL leite de coco organico
4 DL leite organico
1 DL de coco ralado seco sem açucar
1 colher de cha de baunilha em po ou raspas de uma fava inteira
1 pauzinho de canela inteiro
2 colheres de sopa de açucar
Canela em po a gosto



Como:

Lave bem o milho, se possivel deixe o milho de molho em agua por pelo menos duas horas. Escorra a agua e coloque o milho numa panela de fundo grosso com as 3 xicaras de agua, a baunilha e o pau de canela e deixe ferver. Quando ferver, reduza o fogo e deixe cozinhar até que o milho esteja al dente (cozido, mas ainda durinho), se o milho nao estiver cozido quando a agua começar a secar e estiver ainda muito duro, adicione mais uma xicara de agua e deixe cozinhar até o milho ficar bem al dente. Quando o estive milho estiver al dente, levemente cozido, adicione o leite de vaca, o coco ralado e o açucar e deixe cozinhar em fogo brando até começar a ficar macio. Quando o milho estiver ficando bem macio, adicione o leite de coco e deixe cozinhar até o milho ficar bem macio mesmo.

Sirva quente.
Serve seis pessoas.

Obs. Se por acaso voce achar que no final de tudo os graos de milho nao estao macios os suficiente, deixe cozinhar um pouco mais. Se a canjica estiver muito grossa adicione mais leite ou mais agua.






Para quem gostar, segue abaixo mais uma sequencia de fotos feitas da janela de casa, durante a nevasca dos ultimos dias que também foi intensa neste lado do Atlantico Norte.






Mais e mais e mais do mesmo...





Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...