sexta-feira, 25 de maio de 2012

Sorteio de Caixa Chocolate Valrhona no Facebook



Queridos,

Aqueles que acompanham este meu bloguinho pelo Facebook a esta altura já sabem que está rolando um sorteio de uma caixa de chocolate Valrhona por lá, na página do Sabor Saudade.

Na verdade este sorteio é mais um pedido de favor do que um prêmio. Vou me explicar.

A esta altura todos os leitores do Sabor Saudade já sabem que eu tenho uma loja de produtos orgânicos e gourmets aqui na Noruega. Minha loja chama-se Doce Vika e também tem uma versão online, mas a gente só entrega na Noruega e na Suécia. Não entregamos ao redor do mundo pois definitivamente não seria um grande negócio para ninguém comprar da gente e pagar os impostos altos e os custos determinados pelo governo da Noruega + o frete. Minha loja é pequena, tem apenas um ano de vida e ainda que o negócio esteja crescendo no ritmo esperado, nas redes sociais o ritmo está bem devagar. Eu preciso me empenhar mais pois a loja conquista fãs muito lentamente...

Claro eu gostaria de conquistar muitos fãs locais, ao redor da Noruega, mas leva tempo. Então eu decidi conquistar fãs amigos, para dar uma movimentada. E eu acredito que promover a loja entre os amigos também ajuda a promover a página da loja de uma maneira geral, ainda que não eles não venham a se tornar clientes por questões geográficas. Os mistérios do marketing são muitos, mas uma realidade que, o fato de termos mais fãs ajuda a promover a loja, além de me deixar bem mais animada para publicar coisas legais na página e no blog. Mais fãs vai dar mais gás para a página da loja e quando possíveis clientes chegarem até a loja vão ver, ui, tem bastante fãs... também quero ser um...


Lá na loja temos produtos excepcionais, alguns exclusivos, que mais ninguém vende na Noruega, como as caixas de chocolate da Ligne Blanche Paris. São caixas "assinadas", com reproduções de obras de arte de artistas modernos licenciadas através da Fundação Andy Warhol.

E eu vou sortear uma dessas caixas, com a reprodução da pintura Dinossauro (também chamada Dragão) do artista Jean Michel Basquiat e com pérolas de chocolate amargo (55% cacau) da Valrhona. A caixa Dinossauro da Ligne Blanche é recheada com chocolates Valrhona e se você pode ganhar uma dessas.



Como concorrer:

Torne-se fã da página da minha loja Doce Vika no Facebook

Deixe um comentário na página do Sabor Saudade me contando que você está entre os fãs da Doce Vika...

O sorteio será entre aquelas pessas que se tornaram fãs da Doce Vika e deixaram comentário na postagem sobre o sorteio na página do Sabor Saudade, deu para entender? Boas chances de ganhar pois não são centenas de fãs concorrendo...

Vou sortear o vencedor dia 15 de junho!

Eu amo este blog... pelo canal se que tornou para mim, eu amo vocês, leitores, vocês são todos queridos. Em quase 4 anos de blog eu nunca fui vítima de comentários desagradáveis, dos chamados "trolls", nunca precisei excluir comentários rudes...só recebo emails positivos, com elogios, de leitores curiosos, interessados e necessitados. Eu respondo aos emails sinto-me muito feliz por ser contactada e por receber emails tão delicados e gentis.

Sempre, mas sempre, pude contar com o apoio dos meus leitores em levantar minha moral e minha auto estima e isto é prova de que conto com vocês para dar um gás na promoção da minha lojinha no turbilhão que é o Facebook...



quinta-feira, 24 de maio de 2012

Macarons de Sementes Mistas e Chá verde (matcha)




Mais uma receita de macarons? Deve parecer que eu estou obcecada por macarons. Não, ainda não é fixação. Mas a verdade é que eu estou testando algumas receitas e técnicas de macarons para uma postagen explicativa que virá em breve. Uma das coisas que me interessa são macarons sem amêndoas e/ou castanhas. Eu tenho experimentado bastante macarons sem nozes e os resultados são surpreendentes. Os macarons de hoje foram feitos com uma farinha de sementes que eu fiz processando quatro tipos de sementes diferentes: gergelim, linhaça, girassol e abóbora. Ainda adicionei um tanto de chá verde em pó para dar um tchan aos bichinhos.

(mistura de sementes antes de ser triturada para virar farinha...)

Antes de analisar o resultado desta receita eu gostaria de deixar claro que acho macarons de amêndoas, avelãs, castanhas do Pará e de cajú maravilhosos. Castanhas são alimentos super saudáveis, diga-se de passagem, além de saborosíssimas. Mas sementes e outras farinhas com alto teor de gordura se prestam maravilhosamente bem às receitas de macarons e também são muito saudáveis. Esta mistura é excelente fonte de ômegas 3 e 6. Mas é experimentar com os biscoitos o que me interessa, tanto que eu acabo dando de presente a maioria dos biscoitos que faço, eu que é brincar de fazer macarons, exercitar as consistências, sabor e até mesmo a durabilidade. Tipo, por quantos dias a consistência do mcaaron se mantém intacta, em temperatura ambiente e/ou na geladeira, com e/ou sem recheio.


Comecei a brincar de fazer macarons por gostar de biscoitos que tem suspiro na base, e por gostar de experimentar biscoitos sem farinha. Já falei aqui que o meu biscoito favorito não é macaron, mas um primo próximo, os "amaretti" cuja receita é praticamente idêntica a dos macarons exceto pelo sabor intenso de amêndoas e o uso de açúcar comum no lugar do açúcar de confeiteiro. E quer saber o que me permite ter tantas claras para brincar de fazer macarons? O fato de ser louca, lou-ca, por doces de gemas e, por consequência, ter sempre montes de claras sobrando na geladeira. Eu confesso, mais uma vez, que doces que levam apenas gemas são a minha verdadeira obsessão. Quem sabe em breve eu não planejo uma postagem longa cheia de experiência com gemas... para declarar meu amor pela parte amarela dos ovos...



A receita foi inspirada nesta receita aqui que leva apenas sementes de abóbora. Como eu acho sementes de abóbora "solo" meio sem graça, resolvi adicionar outras para dar um sabor mais interessante. No fim o sabor mais proeminente é aquele do gergelim o que salva este macaron e faz dele um macaron maravilhoso, mas não perfeito. A linhaça, apesar de super saudável, compromete um tanto sabor e deixa um retro-sabor. A mesma coisa acontece com o chá verde que deixa no macaron um retro-sabor meio ácido. Para falar a verdade achei que o sabor do chá verde ficou proeminente demais, mas mesmo assim, ficou bom. Talvez, pelo fato de ter usado um chá maravilhoso, a quantidade tenha sido muita. Mas, honestamente, não achei que o chá foi um "plus". Fica bonito, verdinho, mas acho que a receita ficaria ainda melhor sem o chá... e, talvez, sem a semente linhaça.



Macarons de sementes de gergelim, linhaça, abóbora e girassol com chá verde (matcha)

Receita baseada nesta daqui

100g + 2 colheres de sopa de sementes de abóbora, girassol, gergelim e linhaça
100g de claras de ovos
200g de açúcar de confeiteiro
50g de açúcar branco
1/2 a 1 colher de sopa de chá verde em pó

Como:

Coloque as sementes, o chá e o açúcar de confeiteiro na bacia de um processador e processe até formar uma farinha fina. Passe a mistura pela peneira. As sementes devem ser processadas até formar uma farinha fina e passar quase que integralmente pela peneira. Processe o suficiente para não deixar sobrar mais do que três colheres de sopa de pedaços de sementes na peneira. Por conta das sobras, inevitáveis, eu recomento processar 100g + 2 colheres de sopa pois em geral sobra de 2 a 3 colheres. Depois de processado e peneirado, reserve.

Coloque as claras com o açúcar comum num pote grande e usando uma batedeira manual, ou de pedestal, bata até formar um suspiro duro mas brilhante.

Adicione a mistura de sementes e açúcar de confeiteiro ao suspiro e mexa para incorporar. Usando uma espátula, vá mexendo alternando movimentos de baixo para cima e de cima para baixo até incorporar totalmente a farinha aos suspiro. Você vai precisar dar umas boas mexidas para incorporar tudo e essa é uma parte importante, mexer até achar o ponto. Se você mexer demais a massa dos macarons vai ficar mole demais e eles não vão ter aquela aparência lindinha e se mexer de menos ele vai ficar cheio de ar e parecendo um suspirão inflado e craquelado na hora de assar. Precisa mexer o suficiente para obter uma mistura homogênea, retirar o ar necessário da mistura para formar um biscoito de domo (topo) liso e sem pontinha como suspiros.

Quando no ponto correto, a massa dos macarons deverá achatar depois de colocada na forma, formando um círculo de massa liso, sem a pontinha arrepiada dos suspiros. Faça o teste, coloque uma colheradinha na forma e observe se a massa se esparrama ou se permanece na mesma posição, com uma ponta. Se formar ponta é porque precisa mexer a massa um pouco mais.

Usando um saco de confeiteiro, ou uma colher de chá, forme círculos de massa em tabuleiros forrados com papel manteiga (você vai precisar de uns três ou quatro tabuleiros). Salpique as sementes que não passaram pela peneira por cima dos macarons, para decorar. Asse por 12 a 15 minutos a 160C. Quando assados retire do forno e deixe esfriar antes de retirar do papel.

Depois de assados você pode rechear. Eu usei uma ganache de chocolate para rechear os macaronzinho das fotos. A maioria foi devorada a seco...


Dicas:

Obs. Um dos segredos do macaron bonitinho está no forno, no tempo de forno, na temperatura e nas condições do teu forno. Você vai precisar conhecer bem o seu forno para obter os melhores resultados pois a temperatua adequada e o exato tempo de forno pode arruinar o resultado final. Faça alguns testes antes se pretende exibir os bichinhos.

Obs 2. Deixe os macarons esfriarem antes de retira-los do papel. Eu nunca tive problema para retirar os biscoitos do papel manteiga mas há quem tenha bastante problema nessa hora.

Obs 3. Eu costumava deixar as claras fora de geladeira, desidratando por uns dias antes de fazer este biscoito mas depois de ouvir diversos chefs confeiteiros garantirem que era totalmente desnecessário deixei de fazer isso e, de fato, claras frescas ou velhas não fazem a menor diferença.

Obs 4. Na hora hora de peneirar a farinha de coco ralado uma parte sempre vai ficar presa na peneira. Os pedaços maiores de coco que não passarem pela peneira devem ser processados novamente e peneirados mais uma vez. Não adicione os pedaços de coco que não passaram pela peneira para não deixar os domos dos macarons muito embolotados. Mas não deixe sobrar mais do que uma colher de sopa para não fazer muita diferença na receita.

Rende cerca de 35-40 casadinhos, 70-80 biscoitinhos simples



sábado, 19 de maio de 2012

Panna cotta de iogurte e rosas




Com as unhas das mãos ressecadas e levemente escurecidas de trabalhar a terra, do meu jardim, sento-me aqui para escrever sobre esta que foi a mais gostosa das panna cottas que eu já fiz. Ando meio que cansada de tanta baunilha (o que a facilidade da baunilha em pó não faz?) e decidi usar água de rosas para aromatizar esta panna cotta. Optei por esta receita pois estava com mais de meio litro de iogurte turco orgânico na geladeira, coisa rara por aqui, comprado durante uma viagem de final de semana até a Suécia. Enfim, comprei tanto iogurte orgânico, mas tanto, que sobrou. Eu adoro este iogurte, vendido em baldinhos de 1 litro, mas para evitar que estragos decidi fazer uma sobremesa com parte do estoque.



O sabor de rosas fica bem delicado, nada exagerado, e agradou até crianças com antipatia por aromas de flores na comida. Ponto para mim! Consegui demonstrar que nem todas as coisas que levam rosas tem gosto de flor. E por falar em flor, eu comi minha panna cotta com morangos picados, como os demais, e mel de flor de cereja japonês. Este mel eu ganhei de presente da minha amiga Noriko, é um mel delicioso e uso apenas para receitas especiais já que é bem difícil de achar, até mesmo em Tóquio. Mas se você não tem um mel de flores de cerejeira ou rosas, use qualquer mel com sabor pronunciado de flor, ou sirva com a calda de frutas, o que você preferir. Fica bem pouco doce pois o iogurte é natural e combina com uma calda docinha ou um fio de mel.



Estou bem cansada, domingo deveria ser dia de descanso, mas trabalho mais aos domingos do que nos dias de semana. Mas hoje estou cansada e feliz pois o tempo ajudou e finalmente pudemos trabalhar no jardim, limpamos as camas dos morangos que estavam cheias de praguinhas invasoras, limpamos outros canteiros e plantamos todas as sementes de legumes e ervas que havíamos planejado. Estou super feliz! E se tudo der certo em julho vamos estar colhendo beterraba, abobrinha, rúcula, tomate, salsa, cebolinha e espinafres, muitos espinafres... tudo orgânico. Per construiu as caixas de vegetais, encheu com a melhor terra negra orgânica e eu plantei as sementes... algumas foram transferidas para o jardim pois foram germinadas primeiro dentro do banheiro (tomate e abobrinha). Estava louca para produzir minhas rúculas e meus espinafres orgânicos. Espinafre é daquelas folhas que não como se não for orgânico e estou sentindo uma falta imensa pois espinafres orgânicos são bem difíceis de achar por estas bandas.





Panna cotta de iogurte com rosas


300 ml de creme de leite fresco e orgânico se possível
300 ml de iogurte turco ou grego natural orgânico
4 a 6 colheres de sopa de açúcar de cana orgânico (use mais se preferir)
2 colheres de sopa de água de rosas (opcional)
2 folhas de gelatina ou 2 colheres de chá de gelatina em pó sem sabor

Como:

Deixar as folhas de gelatina de molho em água fria. Coloque o creme de leite e o açúcar numa panelinha e sobre fogo médio-baixo deixe que ferva, mexendo para não grudar no fundo. Quando ferver retire do fogo, escorra as folhas de gelatina e adicione ao creme de leite. Mexa bem para derreter totalmente a gelatina. Reserve até esfriar quase que totalmente. Enquanto o creme de leite com gelatina esfria coloque o iogurte numa tigela, adicione a água de rosas e mexa com um fouet para incorporar e formar uma mistura macia. Quando o creme de leite esfriar até 35-37C adicione o iogurte e mexa bem com o fouet para incorporar creme e iogurte totalmente. Distribua a mistura em xícaras, copos ou taças e leve para gelar por duas horas pelo menos.

Sirva com mel de rosas ou mel de flor de cerejeira.




Dicas:

Obs. Como o iogurte turco é bem grosso você não vai precisar adicionar muita gelatina a mistura. Ao invés de 3 folhas de gelatina/colheres de chá de pó use apenas 2.

Obs 2. Se for usar iogurte natural comum, bem mais aguado do que o tipo turco/grego, coloque um pano de linho limpo sobre uma peneira grande e coloque ali o iogurte, para drenar uma parte da água do iogurte. Coloque a peneira com o iogurte sobre uma tigela grande, cubra com uma outro pano limpo, ou plástico, e coloque na geladeira durante a noite. Faça a panna cotta na manhã seguinte. Não descarte o soro do iogurte, você pode usar para fazer bolo ou pão.

Obs 3. Apesar de algumas receitas afirmarem que dá para misturaro iogurte ao creme quente eu não recomendo. Todas as vezes que fiz isso o iogurte talhou. Não fica ruim, mas a aparência não é a mesma. Melhor deixar esfriar o creme de leite antes de adicionar o iogurte.


domingo, 6 de maio de 2012

Macarons de Coco Ralado com Pudim de Chocolate



Fazer pudim e fazer macarons no mesmo dia, ou vice e versa, virou uma coisa natural aqui em casa já que uma receita leva só gemas e a outra só as claras que sobraram. Pudim com macarons já é um ato natural pois no fim um serve para rechear o outro na hora de comer. O pudim de chocolate em geral vem primeiro e sempre feito para agradar as crianças. É pudim daqueles cozidos no fogão e engrossados com um tanto de amido de milho. O macaron deta vez veio da vontade de experimentar e testar essa receita de macaron sem amêndoas e sem castanhas ou nozes. Isso mesmo, esta receita de macarons leva farinha de coco ralado ao invés de farinha de amêndoas (ou avelãs, castanha do pará ou de cajú, amendoim, pistache etc...).


Para fazer a farinha de coco ralado seco basta processar o coco no processador ou num moedor de café. De resto é fazer a receita exatamente como a de um macaron qualquer. O resultado é sensacional, um macaron com um "quê" de biscoitinho de coco. Nenhuma semelhança com um outro biscoito de coco conhecido como macaroon. O problema? Bem, eu nunca tinha comido 30 macarons numa sentada, e desta vez eu acho que comi umas 30 conchinhas "single", uns 15 pares. Não preciso frisar que comi sem recheio, não é? Quem lê este blog há mais tempo sabe que eu gosto mais de macarons sem recheio, ainda que eu também os coma com recheio, tipo recheio de pudim! Mas não recomendo rechear com pudim se for guardar. As conchinhas de macarons são bem delicadas e demandam recheios especiais para manter a qualidade por períodos prolongados.



Esses macarons de coco ficaram divinos e comemos com recheio de pudim de chocolate. Era dar uma colherada no pudim, passar no macaron, colar o parzinho e pronto. Eu amei o macaron de coco ralado e recomendo a todas experimentar fazer. Além de gostoso ainda é bem mais barato já que o quilo do coco ralado seco custa muito menos do que o quilo de amêndoas, castanhas, nozes etc... Para os interessados, esta receita pertence a uma série de receitas de macarons sem nozes e/ou castanhas que você publicada no blog Food Wanderings


Como falei acima, nem todos os tipos recheios são adequados ao macarons. Para conservar a textura por mais tempo e resistir a geladeira, por exemplo, é preciso um recheio sensível a temperatura etc... mas nada te impede de rechear os danadinhos com colheradas de geléia e outros doces que você tenha em casa na hora de servir. Você pode simplesmente guardar as conchinhas de macaron num pote bem fechado e rechear do jeito que desejar na hora de servir. Comemos junto com o pudim pois tinha feito pudim, mas você pode usar doce de abóbora, doce de leite, baba de moça etc...




Macarons de coco ralado

(receita baseada nesta aqui)

100g de coco ralado seco não adoçado
100g de claras de ovo
200g de açúcar de confeiteiro
60g de açúcar comum
Pitada de baunilha em pó (opcional)

Como:

Coloque o coco ralado seco e o açúcar de confeiteiro na bacia de um processador e processe até formar uma farinha fina. Passe a mistura pela peneira. O coco ralado deve ser reduzido a uma farinha e passar quase que integralmente pela peneira. Processe o suficiente para não deixar sobrar mais do que uma colher de sopa de coco ralado na peneira. Reserve.

Coloque as claras com o açúcar comum num pote grande e usando uma batedeira manual, ou de pedestal, bata até formar um suspiro duro mas brilhante, de 5 a 6 minutos.

Adicione a mistura de coco e açúcar de confeiteiro ao suspiro e mexa com cuidado para começar a incorporar os dois. Usando uma espátula, vá mexendo alternando movimentos de baixo para cima e de cima para baixo até incorporar totalmente a farinha aos suspiro. Você vai precisar dar umas boas mexidas para incorporar tudo e a quantidade de mexidas vai variar de acordo com as quantidades etc... e uma parte fundamental. Se você mexer demais a massa dos macarons vai ficar mole demais e eles não vão ter aquela aparência lindinha e se mexer de menos ele vai ficar cheio de ar e parecendo um suspirão inflado na hora de assar. Precisa mexer o suficiente para que obter uma mistura homogênea e retirar todo o ar necessário para formar um biscoito de domo (topo) liso, sem pontinha como suspiros.

Quando no ponto correto, a massa dos macarons deverá achatar depois de colocada na forma, formando um círculo de massa bem baixinho, sem a pontinha arrepiada dos suspiros. Faça o teste, coloque uma colheradinha na forma e observe se a massa se esparrama ou se permanece na mesma posição, com uma ponta. Se formar ponta é porque precisa mexer a massa um pouco mais.

Usando um saco de confeiteiro, ou uma colher de chá, forme círculos de massa em tabuleiros forrados com papel manteiga (você vai precisar de uns três ou quatro tabuleiros). Asse por 12 a 15 minutos a 160C. Quand assados retire do forno e deixe esfriar antes de retirar do papel.



Dicas:

Obs. O segredo do macaron bonitinho está no forno, no tempo de forno, na temperatura e nas condições do teu forno. Você vai precisar conhecer bem o seu forno para obter os melhores resultados pois a temperatua adequada e o exato tempo de forno pode arruinar o resultado final. Faça alguns testes antes.

Obs 2. Deixe os macarons esfriarem antes de retira-los do papel. Eu nunca tive problema para retirar os biscoitos do papel manteiga mas há quem tenha bastante problema nessa hora.

Obs 3. Eu costumava deixar as claras fora de geladeira, desidratando por uns dias antes de fazer este biscoito mas depois de ouvir diversos chefs confeiteiros garantirem que era totalmente desnecessário deixei de fazer isso e, de fato, não faz a menor diferença.

Obs 4. Na hora hora de peneirar a farinha de coco ralado uma parte sempre vai ficar presa na peneira. Os pedaços maiores de coco que não passarem pela peneira devem ser processados novamente e peneirados mais uma vez. Não adicione os pedaços de coco que não passaram pela peneira para não deixar os domos dos macarons muito embolotados. Mas não deixe sobrar mais do que uma colher de sopa para não fazer muita diferença na receita.

Rende cerca de 40-45 casadinhos, 80-90 biscoitinhos lindinhos






Pudim de Chocolate


É uma versão melhorada desta receita que eu publiquei aqui


1 litro de leite desnatado
6 gemas médias
4 colheres de sopa de amido de milho
4 colheres de sopa de cacau puro em pó sem açúcar (usei este Venchi)
2dl de açúcar (eu uso açúcar não refinado orgânico)
100 gramas de chocolate amargo com 75% de cacau Venchi (use o chocolate amargo ou meio-amargo que preferir, 40%, 50%, 56%, 60%, 65%, 70% de cacau está valendo)
1/4 de colher de chá de baunilha em pó ou raspas de uma fava
pitadíssima de sal
2 colheres de sopa de manteiga sem sal (se usar com sal deixe a pitada de sal de fora)

Como:

Numa panela de fundo grosso coloque o leite e a baunilha e leve ao fogo médio até ferver. Enquanto isso, numa tigela grande, peneire o açúcar, o amido de milho, o cacau e o sal. Adicione as gemas, uma a uma, mexendo para incorporar totalmente as gemas. Adicione então o leite fervido, aos poucos, mexendo vigorosamente com um fouet para incorporar o leite a mistura de cacau e amido e não talhar as gemas. Leve a panela de volta ao fogão, em fogo baixo e, mexendo o tempo todo com fouet, cozinhe até começar a ferver. Quando começar a borbulhar retire do fogo e adicione o chocolate em pedaços e a manteiga. Mexa bem até derreter totalmente o chocolate e a manteiga e incorporar ambos à mistura. Passe tudo por uma peneira, para retirar pelotas que possam ter ser formado, e divida a mistura em potes, taças ou copos. Deixe esfriar e leve para gelar. Sirva frio com uma colherada de creme de chantilly, ou iogurte natural, e umas polvilhadas de cacau em pó.

Rende 8 porções