sábado, 30 de julho de 2011

Muitos usos para baunilha e o segundo sorteio de baunilha orgânica em pó...



Caríssimos, o segundo lote de baunilha já tem dona, é a Anabela Martins que ganhou com o número nove. Por favor Anabela, me mande um email com teu endereço. Não sei se vocês se divertem, mas eu sim e espero fazer novos sorteios em breve. Na verdade eu já tenho um planejado mas não sei quando vai rolar, preciso me organizar. Será uma geléia de rosas maravilhosa que é um sonho de verão... Talvez na próxima semana eu anuncie. E para esclarecer, sorteios aqui neste blog estarão sempre abertos para o povo do planetinha terra todo e não precisa ter blog para participar... basta estar interessado e "mostrar" a vontade num comentário qualquer... Os sorteios aqui não tem patrocinador, nem promoção, nem regras, sou eu quem decide e quem banca tudo, sacou?


Ainda, algumas pessoas me escrevem dizendo que não sabem como usar a fava de baunilha. A fava é usada de forma diferente do extrato pois esse contém alcool que evapora se fervido e por isso não deve ser adicionado a preparados que serão fervidos, como pudins, mingaus, geléias etc... Sobre os usos da baunilha em pó, ou fava, eu selecionei algumas alternativas para mostrar como ela é super versátil. Vamos lá:



Use baunilha no doce de leite caseiro;
no pudim de baunilha, claro;
bolo cremoso;
pudim de arroz com baunilha mas experimente também no arroz doce;
geléia de pera e romã com baunilha;
canjica de coco com baunilha;
Na massa de clafouti para dar um sabor de baunilha ao doce;
Maria mole de baunilha
e em panna cotta ou falsas panna cottas

E também fica fantástico adicionar meia colherzinha de café de baunilha em pó em sorvetes cremosos, iogurtes, caldas, minguaus e no leite quente... Para um copo de leite adicione uma pitadinha de pó e leve ao fogo. Depois beba o leite puro ou mistura com cacau ou café... fica sensacional.

Se você não tem baunilha use amburana que é facílima de achar em todo o Brasil e custa baratíssima ou ainda use cumaru que é mais fácil nos mercados do Norte e Nordeste. Tanto amburana como cumaru são ricas em cumarina que é muito similar a baunilha. A cumarina é muito usada pela indústria de comésticos e alimentos para reproduzir o aroma da baunilha.



Açúcar de confeiteiro de baunilha

500 gramas de açúcar de confeiteiro
1 colher de chá de baunilha em pó
1 vidro grande com tampa

Como:

Coloque o açúcar na vidro, adicione a baunilha em pó e feche o vidro. Sacuda bastante o vidro para misturar a baunilha pelo açúcar homegeneamente. Deixe o açúcar descansar por 4 a 5 semanas antes de usar. Use para polvilhar doces e ou fazer pudins, bolos e ou biscoitos.

sábado, 23 de julho de 2011

E aquele vidrinho de baunilha já tem dono...



Queridos, estou com o coração partido diante do massacre em Oslo, mas a vida continua e temos baunilha para enviar.

Fiz um sorteio de 80 números mas apenas 78 posições válidas e o número 20 foi sorteado. A ganhadora foi a Isadora do blog Delícias da Isa. Isadora estou esperando um email seu com o teu endereço para que eu possa postar o pacotinho ainda hoje para você.

Aos demais eu lembro que ainda há chance de ganhar pois no próximo domingo eu vou sortear o tubo com duas favas Bourbon Madagascar.

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Abacate ao chocolate... Pudim de abacate com cacau



Já escrevi aqui diversas vezes que eu amo abacate e que cresci comendo e bebendo muito abacate. Eu costumo dizer que eu sou pelo menos 50% abacate, de tanto abacate que minha mãe amassou e bateu no liquidificador para mim. Eu conto para as crianças que eu bebi abacate com leite e/ou com leite e banana todos os dias da minha infância. Literalmente to-dos os dias eu tomava uma vitamina de abacate ou abacate com banana. E já maiorzinha, quando eu saia sozinha para uma lanchonete ou uma loja de sucos eu sempre pedia vitamina de abacate. Cresci numa casa onde havia um abacateiro enorme, que além de dar abacate ainda era o lugar onde eu mais gostava de brincar. Eu passava os dias esparramada sobre os galhos do abacateiro. Desde pequena que eu gosto de subir em árvore e sempre que eu falo isso me vem a mente o abacateiro imenso, de galhos grossos e longos da minha infância.




Em São Paulo plantei muitos abacateiros, também colhia abacates no quintal, eles davam tanto, mas tanto, que era impossível dar conta. Todo mundo levava um pouco e alguns ainda ficavam ali no chão para as lebres e os lagartos da Granja Viana. Minha mãe também fazia creme de abacate com sorvete de baunilha, uma das minhas sobremesas favoritas. Em São Paulo comecei a bater abacate com sorvete e morango, e abacate com sorvete de chocolate e ficava com consistência e sabor maravilhosos. Abacate é uma fruta super saudável e deliciosa e serve de base para um arsenal de misturas maravilhosas, fica perfeita quando usada como base para mousses ou pudins.



Abacate produz um pudim de chocolate maravilhoso se batido com cacau em pó. Além de simples de fazer é uma sobremesa extremamente saudável, deliciosa e fácil de fazer já que basta misturar abacate, com cacau em pó, cacau puro sem açúcar e um tanto de açúcar ou mel. Além de super barata já que abacate no Brasil é super barato e farto. O mais interessante é que receitas com misturas doces de abacate, tão típicas do Brasil, andam pipocando em vários blogs, jornais e revistas do mundo todo. O abacate é apresentado como uma espécie de super novidade culinária pois além de saudável serve como um elemento curinga para dietas vegetarianas e vegan. E pensar que eu cresci comendo cremes de abacate.



Eu tinha uns mini biscoitinhos champagne de rosas em casa e aproveitei para servi-los junto com o pudim de abacate e chocolate. A mistura ficou perfeita e é uma delícia mergulhar os biscoitos no creme. Também esfarelei alguns biscoitos e salpiquei por cima das tacinhas. A farofinha de biscoito dá um toque crocante todo especial ao doce e eu recomendo servir este pudim com uma farofinha de biscoito doce, o que você preferir.




Pudim de abacate com chocolate


Polpa de um abacate grande (de 400 a 500 gramas)
3 a 4 colheres de sopa de cacau em pó puro
Acúcar ou mel a gosto
Algumas colheradas de leite ou leite de coco

Como:

Coloque tudo o copo de um liquidificador ou processador e bata até obter um creme denso e homogêneo. Leve para gelar por pelo menos 30 minutos e sirva com frutas ou biscoitos. Os biscoitos da foto são uns mini biscoitos de champagne de rosas. Eu aproveitei para esfarelar alguns sobre os pudins, além de dar um tchan no sabor do pudim os farelos com de rosa dos biscoitos ficam lindos sobre o creme marrom.

Rende 4 porções.



Amanhã cedo eu volto com o resultado do primeiro sorteio de baunilha.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Gelatina de leite com baunilha e morangos em calda e +baunilha...



O povo adora baunilha e eu não estou sozinha. Realmente é um perfume maravilhoso, adoro creme hidratante e perfume de baunilha também... tamanha a minha obssessão. Outro dia eu fiz uma gelatina de leite com bastante baunilha. Há quem insista chamar tal criação de panna cotta mas como este nome refere-se tão somente as receitas que referem-se ao creme cozido, e não há creme na minha receita, não há a menor chance de a chamar de panna cotta. Eu adoro leite com baunilha, ferver leite com um tantinho de baunilha para fazer café com leite. Fica tudo.



E por causa da quantidade grande de comentários para o sorteio do vidro de baunilha em pó e por causa da nossa viagem de férias, eu resolvi antecipar o sorteio para sábado e assim eu consigo envio o prêmio pelo correio antes de viajar. Mas como eu prometi sortear no domingo, para não deixar de dar chances aos retardatários e, principalmente, para aumentar as chances de todos de ganhar, eu vou adicionar mais baunilha na receita do sorteio. Depois de sortear o vidrinho no sábado, eu vou abrir um novo sorteio, eu vou sortear para todos os que já comentaram e aqueles que ainda vão comentar na postagem um tubo de vidro com duas favas de baunilha, igualzinho aos da foto abaixo.



As favas são de baunilha orgânica Bourbon Madagascar produzidas para a empresa alemã Brecht que distribui ervas, temperos e especiarias orgânicas de todo planeta. Espero que vocês gostem desta surpresa.

Quanto ao vidrinho com baunilha em pó, eu vou anunciar o vencedor no sábado bem cedo e espero que o vencedor me mande o endereço bem rápido para que eu possa enviar o pacote no mesmo dia. Eu estou mais ansiosa do que qualquer um com o sorteio. Adoro sorteios.

Esclarecendo:

O pote de baunilha em pó será sorteado no sábado 23 de julho, bem cedo, e o vencedor será anunciado nesse mesmo dia. O vencedor deverá enviar o endereço para mim, por email e eu espero postar no próprio sábado. E todos os que já comentaram e os novos comentadores da postagem Baunilhando estarão concorrendo as favas de baunilha que serão sorteadas no próximo sábado, dia 30/07. Boa sorte.





Se você deseja passear pelas receita de gelatinas de leite aqui tem duas delas:

gelatina de leite com morangos frescos.

E também há uma receita que eu adoro muito que é gelatina de leite de coco com salada de kiwi e tangerina



Gelatina de leite com baunilha e morangos em calda


1 litro de leite desnatado
Cerca de meia xícara de açúcar
Raspas de meia fava de baunilha ou meia colherzinha de chá de baunilha em pó
4 folhas de gelatina

Como:

Leve o leite com o açúcar e as raspas de baunilha ao fogo médio e mexa até ferver. Quando ferver retire do fogo e deixe de lado. Enquanto isso amoleça a gelatina em água fria. Escorra a água e transfira as folha de gelatina amolecidas para a mistura de leite ainda bem quente e misture bem para dissolver. Mexa bem até dissolver totalmente a gelatina e você não deverá precisar voltar com o leite para o fogo. Divida o leite em copos de vidro, potinhos, ramekins ou numa forma grande untada (se preferir). Deixe esfriar um pouco e leve para gelar por pelo menos 6 horas. O melhor é gelar a noite toda. Para desenformar passe uma faquinha na borda do potinho e mergulhe o fundo do pote em água bem quente. Coloque um prato sobre o pote e vire a gelatina sobre o pote. Se não quiser sair aqueça o fundo mais um pouco que a gelatina desenforma sem problema.

Obs. Não precisa untar os ramekins ou copos, apenas unte com um pouco de óleo se for usar uma forma grande.

Obs. Você pode usar 500 ml de leite e 500 ml de iogurte se preferir. Mas ferva apenas o leite, dissolva a gelatina na parte do leite, deixe o leite esfriar bastante e antes que endureça e adicione então o iogurte, antes de dividir em potinhos. O iogurte não pode ser aquecido de jeito nenhum pois talha!

Calda quente de morangos

1 xícara de morangos bem lavados
1 ou 2 colheres de sopa de açúcar
um tanto de água

Leve os morangos com a água e o açúcar ao fogo numa panelinha e deixe que fervam levemente. Sirva com pudins ou gelatinas.

domingo, 17 de julho de 2011

Baunilhando... O Sorteio (Atualização)



Baunilha é uma paixão minha... eu vendo lá na loja esses vidrinhos fantásticos com 10 gramas de baunilha em pó, baunilha do tipo Bourbon orgânica lá de Madagascar. O vidrinho é pequeno mas dura pacas... em teoria deve render o equivalente a seis favas, mas rende mais do que seis favas, eu garanto pois já comprava deles antes de abrir a minha loja.

Como eu adoro baunilha, eu coloco um quarto ou meia colherzinha de chá de baunilha em tudo que faço, bato no chá gelado, esquento no leite, no suco, vitamina, no iogurte, pudim, geléias, bolos e biscoitos. Dá para baunilhar um tudo.





Eu gosto tanto de baunilha, mas tanto, que acho que baunilha é um excelente presente. E por isso eu mandei três potinhos de baunilha de presente para três amigas virtuais de quem eu gosto muito... Dois deles foram para Portugal e lá já chegaram, são e salvos. O terceiro pegou um trajeto mais longo, foi para o Rio de Janeiro e ainda não aterrisou. Acho que vai ser uma grande surpresa para minha amiga virtual carioca, vai ajudar a encrementar ainda mais as receitas maravilhosas do blog dela. Espero que o terceiro vidrinho chegue são e salvo no Rio de Janeiro. Vamos esperar e ver...



ATUALIZAÇÃO: Fui meio devagar nesta, mas depois de tanto falar de baunilha eu decidi sortear um potinho de baunilha em pó para os leitores do blog. Se você deseja concorrer a um potinho de 10 gramas de baunilha orgânica do tipo Bourbon de Madagascar basta deixar um comentário nesta postagem falando qualquer coisa. Quem comentou antes deste anúncio já está concorrendo. Claro que eu vou mandar o prêmio para qualquer lugar do planeta e, por isso, não se acanhe.

Eu farei o sorteio da baunilha no domingo que vem, quem não ganhar dessa vez pode comprar pela internet já que é super fácil de achar. Sem querer fazer propaganda mas já fazendo, minha loja online vai estar aberta a partir da semana que vem e, apesar do conteúdo ainda estar todo em norueguês, nós vamos mandar para o planeta todo. O pote de 10 gramas em teoria equivale ao conteúdo de umas seis favas... mas rende bem mais e custa R$21,00 (NOK 63,00). Dependendo da localidade o problema é só o custo do correio.

sábado, 16 de julho de 2011

Geléia de Morangos e Morangos Silvestres...



A vida numa cidade pequena, pequenininha mesmo, tem sido uma maravilha para mim. As muitas delícias desta vida que eu tanto aprecio podem parecer entediantes e insuficientes para muitos, entendo, mas é tudo o que eu desejava depois de viver a maior parte da minha vida entre Rio de Janeiro e São Paulo. Não fossem as pessoas que eu deixei nas duas cidades e eu não sentiria a menor saudade das cidades em si. Eu amo o Rio, imensamente, claro, eu sou o Rio, carrego o Rio comigo. Eu também amo São Paulo, assim como amo Fortaleza, Florianópolis, Belo Horizonte e Maceió... mas, enfim, cidade grande pode até ser divertida, algumas vezes, mas cansa, exaure. E a mim, cansaram.



No Rio eu cresci numa casa grande, com muitas árvores no quintal, até coqueiro tinha. Em São Paulo também vivi muitos anos numa casa enorme, construída num terreno imenso na região da Granja Viana, no município de Cotia, periferia da Cidade de São Paulo. Lá eu plantava e colhia abacates, bananas, amoras, vegetais e muitas flores. Plantamos uma paredão de helicônias que no fim formava uma imensa cerca viva diante da casa, era um espetáculo... Eu amava cortar as longas flores das helicônias e coloca-las num vaso alto na mesa da sala, ficava tão lindo.

Na casa da Granja acho que chegamos a ter seis abacateiros produzindo abacates quando saimos de lá. Naquela época (entre 1996 e 2002) o trânsito diário entre Cotia e SP já era infernal, imagino o que não está hoje. Não aguentaria cruzar aquela distância diariamente nos dias de hoje... Já no Rio, onde vivíamos antes de nos mudarmos para cá, aproveitamos a vida adoidado no Recreio, ou melhor, no Pontal, uma curva linda do Rio, cercada de mar e de chácaras de flores por todos os lados. Mas aqueles lugares lindos aos poucos estão dando espaço para um sem fim de condomínios feios, cercados de grades e de carros por todos os lados, puro caos está virando o Recreio.



Hoje a maior alegria da minha vida é viver longe das grandes cidades... Enquanto eu precisava da cidade grande eu escolhia viver na periferia delas, sempre que pude, principalmente depois que passei a ter minha própria família. Mas o trânsito e o caos também me cansou. Hoje eu vivo na periferia de uma pequena cidade, pequena mesmo. Afinal, Trondheim e seus 173.486 habitantes é praticamente uma "vila" se comparada com Rio ou SP. Trondheim é menor do que a Barra da Tijuca no Rio e um pouco maior do que o bairro da Lapa em SP. Mas atualmente vivemos em Hommelvik, o centro administrativo da pequena Malvik, município com 12.000 habitantes na periferia de Trondheim. Eu adoro estar aqui, numa cidade pequena que também é grande, pois é cheia de possibilidades. Se assim não fosse, como seria possível abrir uma loja de alimentos orgânicos e gourmets no centrão de Hommelvik?



Ano passado fomos até Amsterdã de carro, durante as férias de verão, e foi um inferno. Um verdadeiro incômodo andar pelas as ruas lotadas de gente com pressa, o serviço impessoal, sujeira, polícia por todos os lados, cheiro horroroso por todos os lados... A mesma sensação eu tive em Paris, mais uma vez, quando em fevereiro paramos ali vindo do Rio. Impressionante, mas Paris me parece ainda mais suja, mais fétida, mais desconfortável e desumana no inverno. Cidades excessivamente turísticas parece que me incomodam ainda mais. Talvez o Rio passe a mesma sensação para o visitante, mas eu lá não sou visitante. A última cidade que me alegrou visitar foi Berna, e que é ainda menor do que Trondheim.



Alguns dos benefícios de morar numa cidade bem pequena são bem óbvios, como a facilidade para manter e viver num casa enorme, poder ter um jardim imenso cheio de frutas e flores, o silêncio, a não poluição visual-auditiva-respiratória. Mas, principalmente, numa cidade bem pequena cada pessoa, cada pequeno esforço ou ação individual faz uma grande diferença. Na pequena cidade tudo conta, todos são considerados, ninguém parece ser deixado de fora. Para o bem, e para o mal, numa cidade pequena todos se conhecem, todos se identificam ainda que nem sempre amigavelmente. Eu diria que há mais controle sobre a vida, tenho a sensação de que estamos menos reféns do mundo exterior do que das grandes cidades.

Ontem eu fui lá fora, o sol brilhava, estava quente, os morangos vermelhos e, em coisa de 15 minutos, voltei com duas xícaras de morangos. Nem todos os anos os morangos produzem tão bem como este ano. Ano passado não colhemos quase nada. É que a mágica de fazer a terra produzir é complexa e muda sempre, um ano nunca é igual ao outro. Na mesma hora joguei as frutas todas na panela e fiz essa geléia. A mistura do morango com o morango silvestre produz uma geléia bem diferente da geléia de morango comum, é uma outra esfera, já que o sabor do morango silvestre é bem diferente daquele do morango comercial. Difícil de explicar e simplesmente delicioso de aproveitar. Morangos e framboesas silvestres, mais um benefício da vida no campo...




Geléia de Morangos e Morangos Silvestres do Jardim

1 xícara de morangos orgânicos
1 xícara de morangos silvestres orgânicos
1 xícara de açúcar de cana orgânico
suco de uma banda de limão orgânico

Como:

Coloque os morangos picados, se preferir deixe-os inteiros, e os morangos silvestres inteiros na panela, adicione o açúcar e o limão e deixe que ferva em fogo alto. Quando ferver reduza e deixe cozinhar por cerca de 10 minutos ou até que a geléia adquira o ponto. Para testar coloque uma colheradinha num pires gelado, deixe um minuto e toque a geléia para sentir. Se estiver ainda muito líquida cozinhe um pouco mais e faça novos testes sempre em um pires gelado pois a geléia quando esfria endurece. Transfira a geléia fervente para vidros fervidos e feche de acordo com as instruções do produtor.

Rende dois vidros de 200ml.

sábado, 2 de julho de 2011

Dá um close nelas...




Temos um arbusto imenso, ou melhor, são dois imensos arbustos... um de cada lado do nosso jardim/quintal. Eles servem de "cerca-verde" e fazem a divisa com as casas dos vizinhos. E eu sou louca por eles, pelos meus arbustos. Todos os anos eu e Per brigamos feio por causa dos arbustos... ele quer podar radicalmente os galhos dos meus amores quando começa a primavera. E eu prefiro morrer a deixar cair por terra aqueles galhos lindos... Mas o inverno aqui é cruel e uma montanha de neve se acumula sobre meus imensos arbustos todos os anos e os está inclinando e eles estão caindo para frente, já estão cobrindo o sol dos pequenos canteiros que se espalham pelo jardim...



Perdemos um lindo arbusto amarelo este ano em função do excesso de neve que simplesmente curvou o arbusto de um jeito que ele não teve mais salvação. Para impedir o pior este ano, lá fui eu podar arbusto, munida de nada mais do que uma pequena tesoura de jardim... e foi como cortar cabelo com tesoura de unha. Enfim, dei uma pequena podada nas pontas, liberei o sol para as peones, os lupinos e um lindo e florido arbusto de sálvia.. E a coisa por aqui vai funcionar mais ou menos assim, no outono, quando as folhas começarem a cair, eu vou lá com minha tesoura podar os ganhos mais altos para deixa-los mais fortinhos para segurar o dobrado da neve pesada...



As fotos mostram as flores brancas lindas que nascem nas pontas dos galhos no final da primavera... se a gente poda os arbustos do jeito que o Per deseja elas não florescem... é quase um crime podar estes arbustos. E a florada dos arbustos é um momento mágico para mim... se a gente podar "quando se deve" as flores que nascem nas pontas dos galhos não crescem e não florescem por isso tanta briga. Se podarmos na primavera vira uma cerca verde, sem flores, exatamente como os arbusto de alguns dos nossos vizinhos... eu quero, eu preciso, eu exijo as flore brancas do meu "arbusto véu de noiva"... Olha que lindinhos os bouquezinhos que formam o grande arbusto...





Todos os anos eu corto alguns galhos do arbusto e trago para minha sala para tentar reproduzir dentro de casa um tanto da opulência desse arbusto... ah como eu amo essas flores brancas... e se a gente poda na primavera elas não crescem, eu posso? Claro que não... aí eu podo no outono, e é tudo do meu jeito... até a natureza.